Secretaria teria desviado mais de 190 toneladas de carne da merenda escolar em Goiânia

Documentos preliminares apresentados por vereadores mostram discrepância entre quantidade comprada e entregue às escolas entre novembro de 2014 e abril deste ano

djalma-elias-camara-municipal

Vereadores Djalma Araújo e Elias Vaz apresentaram documentos oficiais que comprovariam a discrepância entre o que a Prefeitura compra e entrega às escolas | Fotos: Câmara Municipal de Goiânia

Alexandre Parrode e Marcello Dantas

Os vereadores Elias Vaz (PSB) e Djalma Araújo (SD) subiram à tribuna na manhã desta terça-feira (23/6) para reafirmar as denúncias contra a Secretaria Municipal de Educação (SME) de desvios na merenda escolar de Goiânia.

Como mostrado com exclusividade pelo Jornal Opção Online no último mês, há forte indícios de que a prefeitura estaria comprando alimentos, mas que estes não estariam chegando, de fato, às escolas. De acordo com dossiê de Elias Vaz, há uma discrepância “enorme” entre o relatório global que foi entregue pela SME e os relatórios apresentados pelas escolas.

Em novembro de 2014, por exemplo, a SME informou que adquiriu 101.330 quilos de carne bovina, no entanto, apenas 56.935 quilos foram efetivamente entregues. Ou seja, quase 50% desses alimentos não chegaram às unidades de ensino. Foi apresentada ao vereador uma compra de 71.372 quilos de coxa e sobrecoxa de frango, ao passo que as escolas teriam recebido apenas 11.395 quilos. Já a diferença entre o adquirido de peito de frango, 25.735 quilos, e o entregue, 9.933 quilos, supera a marca de 60%.

“Eu, pessoalmente, fui às escolas e fiquei chocado. Roubar alimento de criança é um absurdo! Tenho certeza que 90% da população carcerária do Cepaigo [Penitenciária Coronel Odenir Guimarães] não teria coragem de fazer isso”, lamentou Elias Vaz, que garantiu, ainda, que vai fazer a denúncia à Polícia Federal — por se tratar de uma verba que vem do Governo Federal.

Os documentos elencados pelos parlamentares mostram dados preliminares de novembro de 2014 a abril deste ano, quando pelo menos 190 mil quilos de carne teriam sido comprados pela secretaria — comandada por Neyde Aparecida (PT) –, mas não chegaram às escolas da rede municipal.

Segundo Elias, a partir de abril — quando os requerimentos dos vereadores começaram a chegar à secretaria e as denúncias apareceram — a situação “começou a se normalizar”.

Djalma Araújo afirmou no plenário que essa é uma das “maiores roubalheiras” que a Câmara deflagra. “Há seis meses estamos trabalhando nisso, buscando informações, com muita dificuldade porque a prefeitura continua sonegando informações”, acusou ele.

Ainda de acordo com o parlamentar do Solidariedade, haveria casos de desvios que chegam a 80%: “Geralmente, corrupção é de 10, 20%, mas aqui a coisa chegou a um ponto em que produtos não chegaram a ser sequer comprados”.

Veja abaixo listagem da quantidade de carne apresentada e recebida:

Novembro de 2014
Carne bovina
Repasse da Secretária Municipal de Educação: 101.330 kg
Escolas receberam: 56.935 kg

Coxa e sobrecoxa de frango
Repassado: 71.372 kg
Recebido: 11.395 kg

Peito de frango
Repassado: 25.735 kg
Recebido: 9.933 kg

Dezembro/14
Carne bovina
Repassado: 31.571 kg
Recebido: 3.556 kg

Coxa e sobrecoxa de frango
Repassado: 24.894 kg
Recebido: 370 kg

Peito de frango
Repassado: 6.490 kg
Recebido: 788,5 kg

Janeiro/15
Carne bovina
Prefeitura Municipal de Goiânia não informou repasse
Escolas receberam 700 kg

Coxa e sobrecoxa de frango
PMG não informou
Escolas receberam 184 kg

Peito de frango
PMG não informou
Escolas receberam 188 kg

Fevereiro/15
Carne bovina
PMG não informou
Escolas receberam 24.542,6 kg

Coxa e sobrecoxa de frango
PMG não informou
Escolas receberam 11.180 kg

Peito de frango
PMG não informou
Escolas receberam 7.796 kg

Março/15
Carne bovina
Repassado: 21.226 kg
Recebido: 22.027,626 kg

Coxa e sobrecoxa de frango
Repassado: 25.297 kg
Recebido: 22.488 kg

Peito de frango
Repassado: 25.302 kg
Recebido: 21.087 kg

Abril/15
Carne bovina
Repassado: 7.180 kg
Recebido: 982 kg

Coxa e sobrecoxa de frango
Repassado: 6.116 kg
Recebido: 7.737 kg

Peito de frango
Repassado: 4.197 kg
Recebido: 5.510 kg

Resposta
Secretária municipal de Educação, Neyde Aparecida  (PT) | Foto: reprodução / Facebook

Secretária municipal de Educação, Neyde Aparecida (PT) | Foto: reprodução / Facebook

O Jornal Opção Online tentou contato com a secretária Neyde Aparecida, mas a assessoria de imprensa da SME informou que “vai analisar” as denúncias e, provavelmente, a tarde emitirá nota sobre o ocorrido.

Em maio deste ano, a petista garantiu que não há desvios na merenda escolar por parte da secretaria e informou que a falta de dados — apontada por Djalma e Elias à época — não passava de “uma perda de prazos”. “Não há nenhuma irregularidade”, afiançou ela à reportagem.

No entanto, informações repassadas à redação afirmam que o prefeito Paulo Garcia (PT) tomou conhecimento do caso na semana passada e determinou o afastamento do diretor do Departamento de Alimentação Educacional (Dale) da SME, Wesley Batista, e de outros funcionários da pasta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Brito Jr Brito

A falha na administração do Prefeito e das pessoas que não cobra mais transparência… Os diretores das escolas que não vê a diminuição da merenda…

Paulo

Wesley Batista da Silva, diretor do Dale, anda de carros zeros e mantem uma vida de playboy com sua esposa posando de madame e suas filhas levam vida de rica.
Se disfarça de crente na Igreja Batista onde se diz dono .
Da noite pro dia mudou de vida como num piscar de olhos.
Isso é Brasil minha gente!

Anonimo

Procure pelo sr Wesley Batista na Igreja Batista do Avivamento no setor Agua Branca, que vocês saberão onde esta o dinheiro roubado da merenda.