Secretária estadual de Meio Ambiente acredita que não haverá falta de água neste ano em Goiânia

Embora a Bacia do Rio Meia Ponte tenha atingido Nível Crítico 1, Andréa Vulcanis, secretária da Semad, aponta que no ano passado, no mesmo período, a vazão havia chegado ao Nível Crítico 3

Rio Meia Ponte | Foto: reprodução

Após 119 dias sem chuvas, a vazão média da Bacia do Rio Meia Ponte oficialmente atingiu o Nível Crítico 1, quando a vazão de escoamento é menor ou abaixo de 5.500 litros por segundo. Apesar de ruim, a situação ainda é melhor que nos anos anteriores. No mesmo período de 2019, a vazão da Bacia já atingir o Nível Crítico 3.

“Nós fizemos uma intervenção desde o ano passado na gestão dos recursos hídricos, desde o cadastro dos usuários da bacia, os níveis medição nas bombas de água, para saber a quantidade que cada um utiliza. Iniciamos todo processo de regularização desses usuários, concessão das outorgas, trabalhamos também com a questão das o levantamento dos maiores usuários”, informou a secretária do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Andréa Vulcanis.

De acordo com a titular da pasta, todas as medidas adotadas asseguraram que não houvesse desabastecimento em Goiânia e Região Metropolitana.
“Vai nos permitir que a gente tenha aí até o presente momento, já no auge da seca, ainda um volume significativo de água comparado aos anos anteriores. Isso está permitindo uma segurança hídrica para 2020”, afirmou.

“Já avançamos aí no período do ano e período de estiagem. A gente acredita que neste ano não vamos ter nenhum risco de desabastecimento, mas claro, isso depende de quando as águas regulares da chuva vão retornar”, disse. Por isso, a população e os usuários da bacia devem ter consciência da necessidade de evitar desperdícios.

Chuvas previstas

Embora haja previsão de chuva para a próxima semana em Goiânia, Vulcanis explica que essas águas não serão suficientes para elevar o nível de água na bacia. “São chuvas esparsas. As chuvas regulares mesmo somente em outubro. As chuvas esparsas ajudam a aliviar na umidade, apagar fogo de queimadas, mas para vazão do rio ainda não. Só quando temos chuvas mais continuas”, esclareceu.

Segundo ela, são mais de 60 cidades em todo Estado com problemas de abastecimento. “No entanto, neste ano nenhuma faltou água até agora, porque as medidas de prevenção foram todas adotadas. Então a gente acredita que vai atravessar esse ano sem maiores problemas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.