Secretaria de Saúde liga alerta sobre Febre Amarela em Goiânia

Quatro macacos foram encontrados mortos em duas regiões da cidade

Apesar de alta imunização dos moradores, preocupação existe pela aparição de casos de febre amarela silvestre no Brasil | Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal de Saúde acionou o alerta sobre a presença de febre amarela em Goiânia. A Diretoria de Vigilância e Controle das Zoonoses já identificou os quatro macacos mortos nas últimas semanas em decorrência da doença em dois pontos da cidade: no Jardins Lisboa, na localizado na região Sudoeste da Capital, e no Residencial Monte Pascoal, na região Oeste.

Assim, com o vírus em circulação novamente na cidade, a prefeitura recomenda que quem não se vacinou contra a febre amarela, vá a um posto de saúde para fazer a imunização. As crianças devem ser vacinadas aos 9 meses e uma dose de reforço aos 4 anos. As vacinas estão sendo oferecidas nas 81 salas de vacinação do município.

A Febre Amarela é endêmica no Estado de Goiás. Isso quer dizer que a cada 4 ou 6 seis anos o vírus volta a circular no estado. O último registro foi em 2016, em que houve a morte de um jovem na Capital.

Segundo explica o gerente controle de animais sinantrópicos, Welington Tristão da Rocha, o monitoramento da doença é constante com a identificação de animais silvestres acometidos com a doença. Os animais identificados passam por uma série de exames para a confirmação da infecção pelo vírus.

Com a confirmação da presença do vírus, é feito o controle vetorial com o combate ao aedes egypti, mosquito transmissor da doença no perímetro urbano para que não haja transmissão humana. Além do reforço da vacinação.

A presença do vírus na cidade acontece principalmente pelo desmatamento e ação humana em áreas silvestres.

“É bom reforçar que o macaco é um sentinela, não o transmissor da doença. Eles são tão vítimas quanto a gente. Por isso, se alguém avistar um macaco moribundo, no chão, ou triste, não mexa e nos avise através dos telefones 3524-3131 e 3524-3124”, diz o gerente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.