De acordo com presidente do legislativo estadual, Lissauer Vieira (PSB), sessão extraordinária para votar criação de nova pasta depende de encaminhamentos de um pacote de novas matérias do Governo que deve chegar até o meio da semana que vem

Sessão extraordinária deve ocorrer de maneira remota / Foto: Reprodução

Um dos principais projetos do governo estadual que aguarda tramitação na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) é o que cria a Secretaria de Retomada, com intenção de ser votada em sessão extraordinária. De acordo com o presidente da casa, o deputado estadual Lissauer Vieira (PSB), a previsão é que essa plenária ocorra na próxima semana, entre quarta ou quinta-feira, a depender de um pacote de matérias que será entregue pela Governadoria.

“O governador tem urgência nisso, mas está preparando, por meio da secretaria de Economia, algumas outras matérias que estão na Procuradoria Geral do Estado (PGE). A secretária me ligou hoje e pediu para aguardar para mandar em um pacote só. A previsão é entre quarta ou quinta da semana que vem dependendo da entrega do Governo, Casa Civil e PGE as matérias chegarem até a Casa”, informou ao Jornal Opção.

A Secretaria de Retomada será uma nova pasta do governo com objetivo de atender às camadas da população que mais foram afetadas economicamente pela pandemia de Covid-19.

Em anuncio, ainda em junho, sobre a criação da secretaria, o governador Ronaldo Caiado (DEM), explicou: “Ela tem essa finalidade, diagnosticando, sabendo como nós vamos atuar, como vamos apoiar essas famílias, os municípios mais carentes, como nós vamos dar alternativas para o cidadão que o filho dele não está na escola particular mais e precisa da escola pública, daquela que não paga o seguro, que não tem condições de quitar os seus compromissos; avançar no crédito subsidiado do FCO [Fundo de Financiamento do Centro-Oeste] para que haja capital de giro a essas pequenas empresas para ver se elas sobrevivem e não fechem as porta”.

Retomada da Alego

Ainda de acordo com Lissauer, o retorno 100% do plenário está descartado no momento. “Ainda estamos estudando um sistema de deliberação, se continuará sendo remota ou mista. Vai depender dos técnicos de internet para saber se há condições de se fazer um sistema misto”, disse.

Já em relação às atividade administrativas, o parlamentar contou que devem ser retomadas a partir de agosto. “Lógico que com regras em gabinetes, número reduzido de pessoas, vamos retomando à normalidade, inclusive em horário integral. Desde a entrada do recesso estamos em meio período. A ideia é entrar em período integral, dividir mais os horários de visitas, de pessoas no interior e decidir a questão das sessões, se em agosto a gente volta 100% ou misto”, falou o presidente.