Secretaria de Estado da Saúde de Goiás antecipa operação para prevenir dengue

“Goiás contra o Aedes” foi lançada nesta quarta-feira (18) pelo coordenador de ações estratégicas em dengue da SES-GO 

Coordenador geral de ações estratégicas em dengue, Murilo do Carmo, e major do Corpo de Bombeiros, Antônio Moura, falam sobre mobilização do Goiás Contra o Aedes em seis municípios do Estado | Foto: Sabba Nogueira

No intuito de promover a prevenção de casos de dengue, a Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO) antecipou o lançamento do “Goiás contra o Aedes”, para essa quarta-feira (18/10). O coordenador de ações estratégicas em dengue da SES-GO Murilo do Carmo alertou para a circulação do sorotipo 2 da dengue, que historicamente está relacionado ao aumento proporcional de hospitalizações e de casos graves.

“Há risco de epidemia pelo sorotipo 2 para o qual boa parte da população não está imune, por isso a necessidade de todos atuarem na eliminação de criadouros”, afirmou.

Ao mesmo tempo nas cidades de Luziânia, Caldas Novas, Anápolis, Rio Verde, Jataí e Itumbiara, em parceria com o Corpo de Bombeiros e Prefeituras, houve mobilizações especiais para iniciar o reforço da força-tarefa que já é realizada mensalmente nos municípios goianos. Na ocasião, foram divulgados dados regionais sobre a incidência da doença, índices de infestação e cobertura de visitas.

Murilo do Carmo explicou que o dengue tipo 2 não circulava no estado, com predominância, há muitos anos. “Onde houve epidemia por dengue em 2017 foi por causa da dengue 2, conforme comprovação laboratorial”, alertou.

Por causa da operação Goiás contra o Aedes, houve 50% menos pessoas contaminadas com dengue em 2017, em comparação com 2016. Isso significa que mais de 68 mil pessoas deixaram de adoecer nesse ano. Também houve menos 37% menos mortes por dengue em 2016, em relação a 2015.

Em Goiás, até o dia 7 deste mês, foram registrados 34.586 casos confirmados de dengue. Das 227 amostradas isoladas, em 185 foram identificadas casos de dengue 2.

Saldo positivo

Até 2015, menos da metade dos municípios goianos conseguiam realizar coberturas domiciliares adequadas conforme parâmetros do Ministério da Saúde. Após a Mobilização “Goiás contra o Aedes” mais de 90% do Estado atingem parâmetros ideais, graças à parceria com o Corpo de Bombeiros,  Secretaria de Saúde e prefeituras.

Todo esse trabalho é monitorado por georreferenciamento, por meio de tecnologia via satélite, que permite a visualização de cada quadra que está livre ou não do Aedes.  Os dados são alimentados pelos profissionais do Corpo de Bombeiros e podem ser acessados pelo seguinte endereço:http://www.conectasus.go.gov.br

“Graças a esse trabalho tivemos uma redução em 50% da incidência de dengue em Goiás em comparação com 2016. Contudo, a presença do sorotipo 2 é fator preocupante para nossa sociedade e para as autoridades em Saúde. E por esse motivo alertamos a todos que, individualmente, retirem de suas casas lixo acumulado, que limpem as calhas, verifiquem as caixas d’água para ver se estão devidamente vedadas e cuidem para que não haja nenhum foco do mosquito em casa ou no quintal porque o período das chuvas está chegando e com ele, os casos da doença aumentam”, diz o secretário de Estado da Saúde Leonardo Vilela.

O coordenador da sala estadual de combate ao Aedes, major Antonio Moura, do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás, alerta ainda que é importante atuar em conjunto para manter a população alerta sobre os riscos que o Aedes aegypti representa. “A ideia é que a partir da mobilização de órgãos como Corpo de Bombeiros Militar, Secretaria de Estado da Saúde e prefeituras, reforcemos o incentivo a todos os segmentos da sociedade participarem dessa ação. A responsabilidade para vencer essa luta contra o Aedes em Goiás é de todos”, destaca.

A operação “Goiás contra o Aedes” teve início em dezembro de 2015 e permitiu a realização de mais de 29 milhões de visitas  domiciliares, o que representa uma média acima de 1,2 milhão de visitas ao mês. O combate aos vetores é decisivo na prevenção da dengue e de seus sorotipos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.