Secima propõe cooperação com associação do Sul goiano para priorizar licenciamento ambiental

Titular da pasta defende apoio ao Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Três Rios (CM3R) em processo para agilizar quatro aterros sanitários na região

Secretário Hwaskar Fagundes (Secima) propõe termo de cooperação ao consórcio CM3R para priorizar licenciamento de quatro aterros sanitários na Região Sul | Foto: Agnaldo Felix

O titular da Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Recursos Hídricos, Infraestrutura, Cidades e Assuntos Metropolitanos (Secima), Hwaskar Fagundes, propôs ao presidente do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Três Rios (CM3R) e prefeito de Porteirão, José de Sousa Cunha (PSDB), a assinatura de um termo de cooperação entre a pasta e a entidade. Com isso, o CM3R, que reúne 14 municípios do Sul goiano, poderá ter prioridade nos processos de licenciamento ambiental dos quatro aterros sanitários que planeja construir na região, além de contar com o apoio de técnicos da secretaria em ações de educação ambiental e na distribuição de mudas de árvores para o plantio em nascentes de córregos e rios.

A proposta foi feita durante o evento de lançamento do Projeto Circuito Ambiental CM3R, realizado na manhã de terça-feira (28/8), no auditório da sede da Associação dos Bancos (Asban), em Goiânia. O Consórcio foi criado para resolver a questão dos lixões em céu aberto dos municípios consorciados, em atendimento ao que determina a Política Nacional de Resíduos Sólidos. De acordo com o prefeito de Porteirão, o CM3R protocolou junto à Secima os processos de licença ambiental para a construção dos aterros sanitários nas cidades de Morrinhos, Mairipotaba, Joviânia e Porteirão. Juntas, as unidades atenderão uma população estimada de 150 mil pessoas no Estado.

Segundo Hwaskar, a Secima pretende retomar a partir de outubro, com o fim do período de estiagem, o plantio de mudas de árvores do cerrado em nascentes de mananciais de todo o Estado. “Nosso propósito é promover o plantio de 500 mil mudas até o final do ano”, afirmou. O secretário acrescentou que o CM3R poderá solicitar à pasta mudas para fazer o replantio em áreas de nascentes dos seus municípios.

O presidente da Asban, Mário Fernandes Maia Queiroz, lembrou aos gestores municipais que, no que se refere à destinação dos resíduos sólidos, existem hoje mecanismos para transformar ativos ambientais em ativos financeiros, fato que pode contribuir para financiar parte da operação e manutenção dos aterros sanitários. Compõem o Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Três Rios as cidades de Bom Jesus, Buriti Alegre, Castelândia, Edeia, Edealina, Joviânia, Mairipotaba, Morrinhos, Panamá, Porteirão, Pontalina, Professor Jamil e Vicentinópolis. Os três rios do consórcio são o Paranaíba, Meia Ponte e dos Bois.

Ações consorciadas
O Projeto Circuito Ambiental CM3R prevê as seguintes ações consorciadas: gestão dos aterros sanitários, plantio de mudas, coleta seletiva, educação ambiental, entre outras. O objetivo principal é implantar um sistema de gestão sustentável nos municípios consorciados que possa contribuir para a manutenção de um meio ambiente equilibrado. “Mais do que cuidar dos aterros sanitários, queremos que a população adote uma nova cultura, mais sustentável. Estamos atuando assim, pensando nas próximas gerações”, afirmou o presidente do CM3R.

Durante o evento, o gerente de Políticas de Resíduos Sólidos da Secima, Paulo Sérgio de Oliveira Resende, ministrou palestra técnica, junto com a diretora de Desenvolvimento Educacional e Científico do Instituto Vida, Valéria Ataídes Curado Silva.Também participaram os prefeitos Buriti Alegre, Cromínia, Edealina, Joviânia, Panamá, Pontalina, Morrinhos e Vicentinópolis, secretários municipais do Meio Ambiente, o presidente do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), Joaquim de Castro, representantes da Funasa e do Sebrae-GO.

Deixe um comentário