Se líder do Governo sinalizar, Lissauer Vieira vai colocar PEC da Educação na pauta

“O governo deve estar articulando, então quando der o start… Estou aqui para ajudar”, disse o presidente da Casa

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que trata sobre a junção dos recursos da Universidade Estadual de Goiás (UEG), 2%, aos da Educação Básica, 25%, pode ser coloca na pauta da Assembleia, nesta terça-feira, 27. Anteriormente, o presidente da Casa, Lissauer Vieira (PSB), havia dito que não colocaria sem o “start” do governo pelo risco de ainda não haver votos o suficiente.

Porém, com a informação de que o líder do governo, Bruno Peixoto (MDB), possa solicitar nesta terça, 27, Lissauer sinalizou positivamente. “O governo deve estar articulando, então quando der o start… O Bruno colocando, para mim não tem problema. Estou aqui para ajudar”, posicionou-se o presidente da Assembleia.

Polêmica

A matéria tem gerado polêmica na Casa, uma vez que para alguns parlamentares representa a retirada de verba da Educação Básica. O líder da oposição, Talles Barreto (PSDB), chegou a dizer que quem votar a favor da PEC vai retirar do ensino básico cerca de R$ 400 milhões.

“Os governos de Alcides Rodrigues e Marconi Perillo mantiveram os índices de 25% para a Educação e mais 2% para a UEG, via ciência e tecnologia, se esse governo Caiado não sabe cumprir esses índices é melhor pedir para sair”.

Já Coronel Adaílton (PP), presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Legislativo goiano, afirmou que o projeto tem por objetivo a desqualificação do ser humano e o demonste da Educação no Estado.

Por outro lado, Bruno Peixoto afirma que “o Estado aplicará, anualmente, 25% da receita de impostos, compreendida a proveniente de transferências, na manutenção e desenvolvimento do ensino, na educação básica, na educação profissional e no ensino superior, incluída a Universidade Estadual de Goiás, assegurando a esta última a destinação de 2% dentro da base vinculada”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.