Se aceito, mandato de Weintraub no Banco Mundial se estenderá até outubro deste ano

Ex-ministro do goveno Bolsonaro ainda precisa passar pelo crivo de outros países que pertencem ao mesmo grupo brasileiro. Se aceito, a tendência é que Weintraub passe agendas mais progressistas

Ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Após anunciar a saída do posto de ministro da Educação do governo Bolsonaro, Abraham Weintraub divulgou também que passará a ocupar o cargo de diretor executivo no conselho administrativo do Banco Mundial. A expectativa é de que Weintraub seja eleito e ocupe, de fato, tal posto, haja vista que uma candidatura brasileira jamais foi contestada no pleito.

Uma vez no cargo, Weitraub deverá cumprir o restante do mandato atual que será encerrado em 31 de outubro deste ano, quando uma nova nomeação e eleição deverão ocorrer.

O agora ex-ministro assumirá o vaga de Fábio Kanczuk, que deixou a função de diretor-executivo antes de encerrar o mandato. Kanczuk saiu para assumir a diretoria de Política Econômica do Banco Central. Quem o substitui atualmente, de maneira interina, é a economista filipina, Elisa Augustin.

A tendência, diante do novo cargo, é que Weintraub tenha que defender uma agenda progressista, o que vai na contramão das diretrizes conservadores do bolsonarismo até então defendida pelo ex-ministro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.