Saúde prevê que Goiás terá cerca de 100 pacientes críticos nos próximos 90 dias

Já o número de infectados e que podem exigir internação será muito maior. “Será na casa de alguns mil, quantos não dá pra saber ainda”

Foto: Lívia Barbosa / Jornal Opção

O secretário estadual de Saúde, Ismael Alexandrino, concedeu uma entrevista coletiva na manhã desta segunda-feira, 16, para falar sobre as medidas adotados pelo Estado para combater a propagação do coronavírus.

“Nós, numa análise prévia, não esperamos que haverá mais de 100 pessoas num estado crítico em Goiás. É o que a gente espera. Óbvio que isso é baseado na observação, na estatística. Mas esse cenário é dinâmico e pode modificar”, afirmou o secretário.

Por pacientes críticos, Ismael explica que são aqueles que dependem de cuidado intensivo e com ventilação mecânica. O número de infectados e que podem exigir até internação será muito maior. “Será na casa de alguns mil, quantos não dá pra saber ainda”.

Transmissão comunitária

O secretário falou ainda da possibilidade de confirmação do primeiro caso de transmissão comunitária em Goiás. “Por ter aumentado expressivamente o numero de casos suspeitos, saltando de 22 para 85, fez com que nós talvez estejamos às vésperas da confirmação de algum caso que seja transmissão comunitária e não somente de casos importados como foram os quatro diagnosticados até agora”.

Medidas Preventivas 

Para Ismael, a principal preocupação coma  doença se dá pela facilidade do contágio. “Ela faz com que um número maciço tenha contato com a doença e procuram as unidades de saúde e isso pode fazer com que o sistema entre em colapso”.

Como solução para o problema, o secretário vê na informação da população uma arma poderosa. ” A sociedade que está informada de como agir na prevenção certamente nos ajudará muito nas repercussões que são coletivas. Por isso temos tomado várias atitudes que somadas, nós entendemos que elas tem a condição de  um salto positivo. Não existe uma medida unica que seja uma panaceia, que seja heroica ou salvadora”, afirmou.

Pioneirismo

Desde o surgimento dos primeiros casos da doença, Goiás tem sido pioneiro em várias situações. Além do acolhimento dos brasileiros repatriados, o Estado se destacou na vanguarda de várias medidas adotadas. ” Fomos o primeiro estado a instituir o COE, que e o comitê de operações emergenciais, o primeiro a apresentar um plano de contingência ao Ministério da Saúde. O Lacen foi o primeiro laboratório estadual a ser reconhecido nacionalmente como referência para detecção do coronavírus”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.