Saúde e mobilidade serão principais temas na disputa à Prefeitura de Goiânia, indicam pré-candidatos

Após entrevista com os 17 nomes já anunciados, o Jornal Opção detalha destaques feitos pelos políticos que buscam ocupar a cadeira de prefeito em 2021

Há menos de um mês para o início do prazo das convenções partidárias, as siglas em Goiânia movimentam os nomes que podem ser oficializados na disputa ao Paço. Com pleito em ano da pandemia, o debate eleitoral pode ter novos horizontes, como apura o Jornal Opção em entrevista com os 17 pré-candidatos já anunciados, são eles:

Adriana Accorsi (PT); Alysson Lima (Solidariedade); Dra. Cristina (PL); Elias Vaz (PSB); Eduardo Prado (DC); Fábio Júnior (UP); Felizberto Tavares (Podemos); Francisco Júnior (PSD); Gustavo Gayer (DC); Hemanuelle Jacob (PSOL); Major Araújo (PSL); Maria Ester (Rede); Paulinho Graus (PDT); Sandes Júnior (PP); Talles Barreto (PSDB); Virmondes Cruvinel (Cidadania) e Wilder Morais (PSC).

Para entender como a disputa deste ano deve se desenhar, o Jornal Opção entrevistou todos os nomes. Durante os diálogos, os políticos foram questionados sobre os temas que devem ser mais explorados no debate eleitoral deste ano.

Entre as declarações, se destaca a mudança de panorama político com relação aos temas que dominaram as últimas eleições, como segurança pública. Em razão da pandemia, os pré-candidatos consideram que a Saúde será o eixo dos debates, seguido da mobilidade urbana, com foco no transporte coletivo.

Saúde

A saúde foi citada por todos os pré-candidatos como um dos temas com mais força. De acordo com o deputado Alysson Lima, nome do Solidariedade ao Paço, a tendência é que a população passe a depender ainda mais da área, já que prevê acentuação da crise financeira, o que deve acarretar em migração de dependentes de planos pagos para o SUS.

Sobre o tema, o pré-candidato pelo PSDB, deputado Talles Barreto, destaca que pretende criar um hospital municipal em Goiânia. “Única cidade com mais de 1 milhão de habitantes que não tem hospital público municipal. Vamos apresentar ainda um projeto que solucione a questão das UPAs e dos Cais”, promete Talles.

Para Paulinho Graus, com pré-candidatura pelo PDT, os outros temas tendem a ganhar menos força, e destaca o porquê: “Não adianta a gente ter educação e segurança se o cidadão morrer depois, na fila de um hospital”, e acrescenta: “O risco de morrer pela saúde chega a ser maior que pela segurança”.

Deputado federal Elias Vaz, nome do PSB na disputa, concorda com a saúde no eixo principal, mas pondera: “No debate você tem que ter resposta para tudo. O fato de ter temas principais não significa que os demais não precisam ser discutidos, até porque a pandemia evidenciou alguns problemas, mas não resolveu nenhum antigo”, afirma o deputado.

Para Gustavo Gayer, um dos nomes do DC, a questão da saúde deve ultrapassar até mesmo o debate sobre economia e geração de empregos durante as eleições. “É o tema que será mais abordado. A busca deve ser por mais qualidade e mais condições de atendimento às pessoas”, pontua Gayer, que é professor e empresário.

Mobilidade Urbana

Em segundo lugar entre os temas mais citados está a mobilidade urbana. Para a arquiteta e urbanita Maria Ester, pré-candidata pela Rede, a mobilidade está presente em todas as campanhas eleitorais, mas diz que ganhará destaque neste ano. “Porém serão poucos que vão apresentar propostas como as minhas, que defende, por exemplo, que o transporte público precisa de subsídio além do usuário”, defende Maria Ester.

“É um tema que sempre esteve presente, só que agora na pandemia demonstrou a precariedade”, considera a vereadora Dra. Cristina sobre o transporte coletivo. A parlamentar é voz de oposição na Câmara e agora pré-candidata pelo Partido Liberal.

Defendendo levar para o debate ideias palpáveis e concretas, o deputado estadual Major Araújo, que deve representar o PSL na disputa ao Paço, diz que o metrô será desenvolvido caso assuma a gestão. “Independente da pandemia essa já é uma pauta nossa”, afirma Major Araújo, que acrescenta confiar em parceria público-privado para a concretização do projeto.

“Ouvimos falar de aumento de valor e não tem cobranças do poder público sobre a qualidade. Na pandemia ficou demonstrada essas falhas, pessoas precisando trabalhar, menos ônibus, linhas que não servem a necessidade da população”, destaca a deputada estadual Adriana Accorsi, pré-candidata pelo Partido dos Trabalhadores.

Economia

Sobre economia, tema também muito citado, os candidatos destacam a necessidade de foco em medidas de retomada econômica no pós-pandemia. “O novo prefeito tem que cuidar muito da economia. Ele tem que entender a cidade. Inovação geral da gestão. Fazer mais com menos. Pensar no ser humano”, salienta Wilder de Morais, representante do PSC ao Paço.

Para o pré-candidato da Unidade Popular, Fábio Júnior, que representa a sigla recém-criada e uma das alternativas à esquerda, o debate deve priorizar o foco na geração de emprego e renda. “Só obras não é suficiente para socorrer a cidade. É fundamental a prefeitura pensar sobre a criação de uma renda mínima, por exemplo”, defende Fábio, que deve pautar movimentos populares como o das lutas por moradia.

O nome do Podemos na disputa, o vereador Felizberto Tavares afirma que o desenvolvimento econômico tem que ser pensado ainda ao lado de questões ambientais. “Todo ano a questão da crise hídrica aperta ainda mais. Precisamos questionar sobre a política nacional de resíduos sólidos, por exemplo, sobre quais incentivos foram dados”, destaca o vereador.

Para a professora Hemanuelle Jacob, representante do PSOL, os objetivos e discursos devem ser pensados para resolver os problema da periferia. “Se nós formos andar pelas periferias veremos que existem ruas e muitas praças sem iluminação, sem ponto de ônibus, por exemplo”, cita Jacob, que apresenta medidas detalhadas desde a área da segurança a até na educação.

Outros temas

Tema de destaque em 2018, a Segurança Pública deve vir menos forte neste ano. O deputado estadual Delegado Eduardo Prado, uma das duas opções do DC, destaca que pretende focar esforços sobre temas como desenvolvimento econômico, mas não abandona pautar segurança pública. “A nível municipal precisamos falar sobre a Guarda Civil”, salienta Prado, que cobra por fortalecimento da polícia do município.

Sobre Educação, citada por vários pré candidatos, o deputado Virmondes Cruvinel, nome do Cidadania ao pleito, destaca a necessidade de atenção para as demandas que o retorno às aulas deverão apresentar, refletindo nos próximos anos. “Precisamos falar sobre o uso de tecnologia na educação”, cobrou

Pelo segunda eleição municipal concorrendo à Prefeitura, o pré-candidato pelo PSD, o deputado Francisco Júnior optou por não citar temas específicos. Disse que a cidade precisa de atenção na saúde, trânsito, planejamento de obras. “A população não pode e não tem que esperar ano eleitoral para ter uma cidade um pouco mais digna”, destacou ao Jornal Opção.

Questionado sobre os temas que devem pautar a eleição, um dos pré-candidatos do PP, o ex-deputado Sandes Júnior disse que o partido encomendou uma pesquisa qualitativa , uma sondagem, para averiguar o que os cidadãos entendem que mais precisam na cidade. “Então, como cientificamente eu vou saber daqui a alguns dias, eu não vou me antecipar em dizer o que o eleitor está pedindo, porque não vi a pesquisa ainda”, disse.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.