Sargento inativo da PM que gravou vídeo de “alerta” a governador esclarece postagem

Militar da reserva, João Roberto disse que não fez ameaça. “Falei o que todos queriam falar, mas não tiveram coragem”

Foto: Francisco Costa

Francisco Costa

“Não é uma ameaça. Nunca”, afirmou o sargento aposentado João Roberto, responsável por vídeo gravado na última semana em que alerta o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), a não mexer com os aposentados. “Falei o que todos queriam falar, mas não tiveram coragem.”

Segundo o policial militar da reserva, ele gravou aquele vídeo por indignação. “Nós demos a vida pelo Estado de Goiás, cada um de nós trabalhou 30 anos. Agora que nós chegamos à reserva e aposentamos, ficamos doentes, o senhor governador não quer nos pagar?”, desabafa.

João ainda explica o que quis dizer na gravação: “Se chegasse de acontecer do movimento ir para a porta de um quartel e não deixar as viaturas saírem. E aí? Poderia causar um massacre. Eu quis mostrar para o governador que ele poderia causar um massacre no estado, sendo que não precisa disso.”

Liberdade de expressão

O sargento da reserva aproveitou o momento também para fazer uma mea culpa, mas defendeu sua liberdade de expressão. “Não quer dizer que eu esteja certo em tudo o que eu disse, mas eu tenho direito de me expressar. Não é porque eu sou militar que eu não tenho esse direito”, aponta.

Questionado sobre as repercussões do vídeo, João afirma que não foi chamado por qualquer órgão a dar esclarecimentos. “E não vejo necessidade, não houve quebra da hierarquia”, finaliza.

Vídeo

Gravado e divulgado nas redes sociais, na semana passada, o vídeo do sargento aposentado acusava, entre outras coisas, o governador Ronaldo Caiado de prejudicar os inativos. Além disso, a gravação fazia um alerta.

“Senhor governador, não mexa com os aposentados, principalmente da polícia. Se fizer isso, será o maior tiro no pé, pois vamos parar o Estado. Iremos para as portas dos quartéis e não sairá uma viatura. O senhor será ‘impeachmado’ e causará mortes no Estado, com policiais matando policiais, pois os aposentados têm armas também. Cuidado.”

O vídeo foi gravado após o pagamento dos ativos e o não pagamento dos aposentados. O militar da reserva também manifesta indignação a folha não quitada de dezembro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.