Santana Gomes: “José Nelto tem que parar de hipocrisia, é um dos parlamentares mais ricos daqui”

Deputado subiu à tribuna para repreender peemedebista por acusar investigados da Operação Decantação de enriquecimento ilícito

| Crédito: Marcos Kennedy

Santana também criticou as prisões, consideradas por ele desnecessárias | Foto: Marcos Kennedy

O deputado estadual José Nelto (PMDB) foi duramente criticado durante a sessão desta quarta-feira (31/8) na Assembleia depois de falar dos presos da Operação Decantação. Cláudio Meirelles (PR), Francisco Oliveira (PSDB), Talles Barreto (PSDB) e Santana Gomes subiram à tribuna para defender os envolvidos e lembrar que o processo ainda está na fase de investigação, sem que nenhum deles tenha sido formalmente condenado.

Um dos mais inflamados foi Santana Gomes, que chamou José Nelto de hipócrita por apontar enriquecimento ilícito no caso dos envolvidos. Segundo o deputado, o peemedebista é considerado um dos parlamentares mais ricos da Assembleia e devia esclarecer como acumulou patrimônio. “Eu conheço parlamentares aqui, por exemplo, com oito, nove mandatos que não são considerados pessoas ricas. Então que ele explique pra gente”, pediu.

“Pessoal fala que ele tem grandes loteamentos pelo Estado de Goiás, que ele tem sociedade com o prefeito. E a sua história é toda do parlamento, todos nós somos assalariados, então essa situação está um pouco confusa”, questionou Santana. “Antes de fazer política, temos que ser homens e andar em linha reta, e parar com essa hipocrisia. É ruim pra nós, políticos. Faltou autocrítica”.

Judicialização

Santana também criticou o que chamou de judicialização das investigações. “A gente precisa fazer justiça, mas hoje estamos vivendo um momento que está passando por cima da lei”, lamentou. “Não estou discutindo se tem que fazer ou não, mas é desnecessário prender as pessoas daquele jeito, eles estavam sendo investigados, poderiam a qualquer momento depor, têm endereço fixo, já tem idade, história no Estado”.

O deputado disse ainda que não viu motivos para prisão no processo. “Eu vi todo o processo e se houver algo que os condene com base nele, eu rasgaria meu diploma”, disparou. Para ele, o mais importante é esperar a decisão da Justiça. “Acho que a polícia e a Justiça têm que fazer seu trabalho, mas nós parlamentares não podemos entrar nessa não, temos que esperar resultados antes de jogar no fosso”, finalizou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.