Sandro Mabel pede demissão e é o 4º assessor de Temer a deixar o governo

O ex-deputado entregou uma carta ao presidente dizendo que enfrentava dificuldades junto à família para permanecer em Brasília

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O ex-deputado Sandro Mabel (PMDB-GO) pediu demissão na noite da última terça-feira (23/5) ao presidente Michel Temer.

Além de Mabel, já saíram José Yunes, Rodrigo Rocha Loures e Tadeu Fillipelli. Com isso, já são quatro assessores do presidente que deixam o Planalto.

Em carta a Michel Temer, Mabel diz que “enfrentava dificuldades junto à família para permanecer em Brasília”.

Segundo ele, na última quinta-feira (18) o presidente Michel Temer o autorizou a retornar à “família e negócios”.

Lava Jato

Na última quarta-feira (17), o Ministério Público Federal em Goiás (MPF-GO), por meio do seu Núcleo de Combate à Corrupção, requisitou ao Departamento da Polícia Federal em Goiás (DPF-GO), a instauração de inquérito policial para apurar supostos pagamentos ilícitos feitos em 2010 por ex-executivos da construtora Odebrecht ao então deputado federal Sandro Mabel.

A investigação é uma das várias ramificações da Operação Lava Jato e tem início após informações prestadas à Procuradoria-Geral da República (PGR) pelos ex-executivos da construtora. Os depoimentos são frutos dos acordos de delação premiada assinados com o MPF.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.