Sandoval Cardoso é eleito novo governador do Tocantins

Da mesma chapa de Cardoso, Tom Lyra é o vice do Estado. Ambos foram oficialmente empossados neste domingo

25570

Foto: Koró Rocha/Assembleia Legislativa do Tocantins

Em votação indireta, o presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins, o deputado Sandoval Cardoso (SDD), foi eleito neste domingo (4/5) governador do Estado, cargo que deve assumir até o dia 31 de dezembro deste ano. As eleições indiretas ocorreram em ocasião da renúncia do ex-governador Siqueira Campos (PSDB) e de seu vice, João Oliveira (DEM).

A chapa de Sandoval recebeu 15 votos dos 21 deputados presentes, vencendo o pleito em primeiro turno. O vice-governador vai ser o empresário Aldison Wiseman Barros de Lyra, o Tom Lyra (PR), da mesma chapa de Cardoso. Ambos foram oficialmente empossados ainda neste domingo. Em seu discurso de posse, Sandoval defendeu a proposta de um governo pautado em ações que promovam o bem comum do cidadão. De acordo com ele, sua administração vai priorizar o desenvolvimento, dando atenção aos programas já implantados e obras em andamento.

Foto: Clayton Cristus/Assembleia Legislativa do Tocantins

Foto: Clayton Cristus/Assembleia Legislativa do Tocantins

A eleição indireta foi realizada no plenário da Assembleia Legislativa de Palmas e, ao todo, oito chapas concorreram ao cargo interino. Inicialmente, nove chapas haviam se inscrito. Porém, a vereadora Izabela Suarte (PPL) colocou o seu nome na lista de pré-candidatos com alguns minutos de atraso do horário estabelecido, razão que levou a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa a não aceitar o seu pleito.

Anteriormente, os candidatos Paulo Mourão (PT), Marcello Lelis (PV), Nuir Machado (PMN) e José Augusto Pugliese (PMDB) realizaram pedidos de impugnação contra Sandoval Cardoso e Eli Borges (PROS). Eles alegaram que os dois candidatos não teriam respeitado o prazo mínimo de filiação, exigido para concorrer a cargos eletivos. Os pedidos foram negados na última sexta-feira (2/4) pela Mesa Diretora da Casa, uma vez que a regra só se aplicaria em caso de eleições diretas.

A votação seria composta por 23 deputados estaduais, mas dois não puderam votar: Amália Santana (PT), que sofreu um acidente de carro durante trajeto até a Assembleia, e Josi Nunes (PMDB), que alegou problemas de saúde. Além de Sandoval, que obteve 15 votos, os deputados Marcelo Lelis (PV) e Eli Borges (PROS) receberam dois votos cada um. José Augusto Pugliesi (PMDB) e Paulo Mourão tiveram um voto.

Com a saída de Sandoval – para assumir o governo -, a presidência da Assembleia Legislativa passa oficialmente para o deputado Osires Damaso (DEM). Já a 1ª vice-presidência fica com o deputado Eduardo do Dertins (PPS). A composição do Parlamento também elevou o deputado Jorge Frederico (SDD) à condição de titular.

Após renúncia

As eleições indiretas foram necessárias porque o tucano Siqueira Campos anunciou a renúncia ao governo no dia 4 de abril – a carta com o conteúdo foi publicada um dia depois no Diário Oficial do Tocantins. O afastamento foi necessário para que o filho dele, Eduardo Siqueira Campos (PSDB), pudesse concorrer ao governo.

Já João Gomes renunciou a vice-governador no dia 3, motivado também por finalidade eleitoral. Desde então, quem assumia a administração temporária do Estado era Sandoval Cardoso.

Siqueira Campos estava no quarto mandato e retornou ao poder em 2011. Ele pode concorrer à reeleição, mas para isso não precisaria renunciar. Um caminho que ele pode tomar é a candidatura ao Senado Federal.

*Notícia atualizada às 15h40

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.