Saldo de empregos formais em Goiás cresceu mais de 100% no último ano

De acordo com dados do Ministério do Trabalho, agosto de 2018 superou o mesmo mês do ano anterior

Foto: Rafael Neddermeyer / Fotos Públicas

O saldo de emprego celetista em Goiás em agosto aumentou 157,4% em relação ao mesmo mês no ano passado. O saldo em 2017 foi de 1.834 e, em 2018, de 4.721. O setor que mais admitiu neste mês foi o de serviços, com 20.192 admissões, mas também foi o que mais demitiu, com mais de 18 mil demissões. Os dados são do Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, divulgado nesta sexta-feira (21/9).

A administração pública foi o setor com menor saldo de empregos formais, apresentando -12 como resultado em agosto. Já o setor de serviços apontou com o maior saldo – de 2.088.

O saldo do emprego celetista é a diferença entre as admissões e as demissões realizadas no determinado período. Goiânia foi a cidade no estado que mais admitiu, com 19.165 contratações. A capital também foi a que mais demitiu, totalizando 17.679 demissões em agosto deste ano. A cidade que menos demitiu foi Minaçu – 88 pessoas – e a que menos admitiu foi Santo Antônio do Descoberto – 83 pessoas.

Goiânia também é a cidade goiana com maior saldo de emprego celetista e Valparaíso de Goiás com o menor saldo. A cidade do entorno de Brasília ficou com um saldo negativo de -306.

Nacionalmente, o emprego formal cresceu e gerou 110.431 novas vagas no Brasil. O desempenho foi resultado de 1.353.422 admissões e de 1.242.991 desligamentos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.