Salas de cinema lotadas e debates calorosos: Raquel Teixeira comemora sucesso do Fica 2015

Secretária apresentou balanço da 17ª edição do festival na manhã deste domingo (16), que mostrou grande adesão à programação original 

Secretária frisou que proposta original do festival, que é debater cinema e meio ambiente, teve mais força | Foto: Sarah Teófilo

Secretária frisou que proposta original do festival, que é debater cinema e meio ambiente, teve mais força | Foto: Sarah Teófilo

Sarah Teófilo
Da Cidade de Goiás

Mesmo com a diminuição de público, a secretária de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira fez uma avaliação extremamente positiva da 17ª edição do Festival Internacional de Cinema Ambiental (Fica), que ocorre na Cidade de Goiás.

Conforme balanço divulgado na manhã deste domingo (16/8), último dia de festival, a Polícia Militar (PM) estima que cerca de 40 mil pessoas passaram pela cidade nos seis dias — cerca de um terço do fluxo de 2014, quando 130 mil pessoas estiveram na antiga capital do Estado.

Os números ainda mostraram que 100% dos quartos de hotéis na cidade velha e 70% dos hotéis da periferia foram ocupados. A Cidade de Goiás teve investido, graças ao festival, R$ 1,7 milhões, sendo R$ 800 mil de forma direta, pela verba do evento, e R$ 900 mil de forma indireta. Dados ainda apontam que 190 moradores foram contratados em trabalhos temporários para atender à demanda da cidade.

A secretária Raquel destacou o fato do festival ter acontecido com 50% do orçamento destinado ao evento no ano passado. “Mesmo com o ajuste fiscal que o Brasil todo passa, conseguimos manter o festival”, afirmou. De forma positiva, Raquel pontuou que fato permitiu que evento voltasse a manter o foco no conceito original, que é cinema e meio ambiente.

A diminuição do público, que já era esperada pelo governo estadual — haja vista que o foco do evento foi a programação ambiental, em detrimento de grandes shows nacionais — foi, inclusive, bem avaliada por moradores. Muitos disseram que o evento enchia a cidade de pessoas que não tinham interesse no debate e vinham apenas para “fazer bagunça”, como disse a comerciante Quézia Barbosa, há 9 anos em uma loja de artesanato próxima à casa de Cora Coralina. “A mudança do público foi positiva”, garantiu.

Além disso, a secretária lembrou que os artistas de maior renome ofuscavam o trabalho dos regionais. “Ouvi de músicos que se sentiam mal por terem que dividir palco com artistas nacionais”, e completou: “Muitos vinham a Goiás para ver o show de fulano, e depois iam embora sem ver o que de principal o festival oferece. Que legado isso deixa?”.

Sobre o assunto, Raquel Teixeira ressaltou que o Fica não é um festival de música. “Música é lá em Pirenópolis, no Canto da Primavera”, afirmou. “Nosso objetivo é manter o cinema, não queremos nada que irá rivalizar com o foco principal”, frisou.

Confira alguns dos números apresentados pela secretária, entre eles quantidade de público nos fóruns e nas mostras de cinema:

Mostra de cinema  4.800 pessoas passaram pelos 70 filmes exibidos
Mostra ABD 1.100 pessoas passaram pela mostra. Foram 21 filmes goianos; 13 prêmios que totalizam R$ 120 mil
Mostra Competitiva 1.300 pessoas passaram pelo cinemão. Foram12 filmes nacionais e 9 internacionais; 10 prêmios que totalizam R$ 240 mil
Fica Animado 800 crianças visitaram a mostra que exibiu 14 filmes
Cursos e oficinas 380 participantes
Cursos e oficinas “Fica na Comunidade” 160 participantes
Fórum de cinema 530 participantes
Fórum de meio ambiente 500 participantes
Debate com realizadores 160 participantes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.