Saída de Moro do Podemos não afeta legenda em Goiás, diz Eduardo Machado

Líder do partido garantiu que condução segue a mesma e candidatos ficam livres para apoiar presidentes de forma independente

A saída do ex-ministro Sérgio Moro do Podemos não deve influenciar a atuação do partido em Goiás. Ao menos é isso que garante o primeiro vice-presidente nacional da legenda, Eduardo Machado. “Isso não muda nada a condução do Podemos em Goiás. Temos nossa chapa para deputados estaduais e federais completas e cada um fica livre para apoiar o candidato a presidente que escolher, de forma independente”, esclareceu.

Machado também reforçou a posição de apoio de “100% com o governador Ronaldo Caiado”. A aliança com a base do governo foi firmada na última terça-feira, 29, quando ele foi nomeado, pelo próprio Caiado, ao cargo de presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO).

Sergio Moro anunciou a filiação União Brasil nesta quinta-feira, 31, num movimento que levanta dúvidas sobre a manutenção de sua pré-candidatura à Presidência. De acordo com as especulações iniciais, as portas do União Brasil foram abertas com a condição de que Moro fosse candidato a uma vaga no Congresso Nacional, no Senado ou Câmara dos Deputados. A opção pelo Senado não teria espaço no Podemos, onde Álvaro Dias, líder do partido na casa, é candidato certo.

Dias, por outro lado, comentou que a decisão do ex-ministro segue exatamente no sentido de reforçar o projeto para a Presidência e não o contrário. “Ele comunicou agora que vai se filiar (ao União) na busca de uma estrutura maior para tentar viabilizar a candidatura à presidência. Essa é a razão da mudança, tentar abrir espaço nessa discussão do centro democrático que busca convergência”, declarou Dias, ao Jornal Globo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.