A polícia sugere execução — porque os criminosos nada levaram —, mas não se sabe os motivos reais do crime: três médicos ortopedistas foram assassinados na madrugada de quinta-feira, 5, num quiosque da Praia da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Um quarto médico está internado.

Pessoas presentes no local disseram que os criminosos chegaram, nada falaram e começaram a atirar. Atiraram pelo menos 20 vezes. Os médicos, de São Paulo, foram ao Rio para participar do 6º Congresso Internacional de Cirurgia Minimamente Invasiva do Pé e Tornozelo. Considerando que os médicos não eram do Rio, os criminosos podem ter confundido os quatro profissionais com outras pessoas? Ainda não se sabe.

Hospedados no Hotel Windsor, na Avenida Lucio Costa, os quatro médicos se dirigiram ao quiosque, que fica em frente ao hotel. Então, três homens, vestidos com roupas pretas e armados com pistolas, desceram de um automóvel e começaram a atirar, a queima-roupa.

Os 4 médicos

1

Daniel Sonnewend Proença

Aos 32 anos, Daniel Sonnewend Proença foi baleado três vezes. Está internado no Rio de Janeiro. Ele é especialista em cirurgia ortopédica. O jovem profissional é formado pela Faculdade de Medicina de Marília.

2

Diego Ralf Bomfim

Socorrido, Diego Ralf Bomfim morreu no Hospital Lourenço Jorge, no Rio. Ele tinha 35 anos. O médico era especializado em reconstrução óssea pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

3

Marcos de Andrade Corsato

Mais velho do grupo, Marcos de Andrade Corsato morreu aos 62 anos. Morreu na hora. Era diretor do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

4

Perseu Ribeiro Almeida

 O médico, de 33 anos, morreu na hora. Perseu Ribeiro Almeida era especialista em Cirurgia do Pé e Tornozelo pelo Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.