RRF: “Não vamos tomar nenhuma decisão sem conversar com os empresários”, garante Wilder Morais

“Goiás é o Estado mais agressivo de todos em incentivos fiscais. Mesmo que isso aconteça (ingresso ao RRF), ainda estaremos seguros”, disse 

Foto: Fernando Leite / Jornal Opção

O titular da Secretaria de Indústria e Comércio, Wilder Morais, conversou com o Jornal Opção, na tarde desta terça-feira, 23, onde comentou sobre a possibilidade do Estado efetivar seu ingresso ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). A medida é pleiteada pelo governador Ronaldo Caiado e a secretária da Economia, Cristiane Schimidt. Além disso, é tida, por ambos, como a solução para retomada da economia goiana.  

Para o secretário, é nítido e de conhecimento público a “realidade fiscal” do Estado. Diante da situação de “calamidade financeira” pregada por Caiado, Morais diz acreditar que o governo deve “tomar providências de todos os lados”.

Wilder enfatizou, ainda, que, apesar das dificuldades, o Estado não está parado: “A secretaria  já conseguiu a assinatura de protocolos com 44 empresas para o Estado, gerando mais de 25 mil empregos e incrementando R$ 400 milhões em receita a partir de um ano e meio”.

Corte de incentivos

Haja vista que o ingresso ao RRF pode implicar no congelamento dos incentivos fiscais concedidos aos empresários, Wilder argumentou: “Goiás só perde para a Zona Franca de Manaus. É o mais agressivo de todos os Estados. Mesmo que isso aconteça (ingresso ao RRF), ainda estaremos seguros”, garante.

Por fim, o titular da pasta disparou: “O empresário do estado de Goiás tem uma parceria com a Secretaria de Indústria e Comércio. Ela é a casa deles. Não vamos tomar nenhuma decisão sem conversar com os empresários; sem chegar a um consenso”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.