Caiado ressaltou que, como médico, sabe da ocorrência de estudos que indicam que a presença de campos magnéticos como o que esta linha pode provocar traz males à saúde humana, como, por exemplo, o risco de leucemia

Um grupo de moradores da região Sudoeste de Goiânia se reuniu nesta quinta-feira (13/11) com o deputado federal e senador eleito Ronaldo Caiado (DEM) para evitar que seja instalada uma linha de transmissão da Celg na região onde vive. Segundo eles, a obra colocaria em risco a vida dos 20 mil moradores.

Uma linha de transmissão de alta intensidade foi projetada para ligar subestações e ampliar o serviço de fornecimento de energia elétrica na capital do estado. No entanto, das quatro opções de trajeto, a CELG optou pela que vai atingir o maior número de pessoas, passando pelos bairros de Parque Anhanguera, Residencial Canadá, Setor Faiçalville, Setor Santa Rita, Jardim Presidente, Três Marias, Jardim Europa e Parque Amazonas. A alegação é que duas outras seriam inviáveis financeiramente e que uma terceira “prejudicaria o setor imobiliário”. Os postes já começaram a ser instalados.

Caiado ressaltou que, como médico, sabe da ocorrência de estudos que indicam que a presença de campos magnéticos como o que esta linha pode provocar traz males à saúde humana, como, por exemplo, o risco de leucemia.

O deputado lembra que países como Canadá e Suíça proíbem a instalação de redes de alta tensão a menos de 40 metros de qualquer construção habitacional. A Celg, por sua vez, estabelece em seu regulamento uma distância de 16 metros do canteiro central e outros 6 metros de distância de meio-fio a meio-fio. E mesmo isso, sustenta, tem sido desrespeitado pela companhia, já que no Setor Santa Rita alguns postes chegam a ficar a 1,70m da parede de uma residência.

“É um total desrespeito aos moradores que não devem pagar com a saúde de seus filhos pela péssima gerência da Celg. A companhia quer amenizar sua situação financeira fazendo economia com a vida alheia. Gostaria de perguntar ao presidente da Celg, José Navarrete, se a saúde de um familiar seu pode ser mensurada dessa forma”, indagou o democrata.