Ronaldo Caiado afirma que instalação de linha de transmissão na região Sudoeste da capital vai prejudicar 20 mil goianienses

Caiado ressaltou que, como médico, sabe da ocorrência de estudos que indicam que a presença de campos magnéticos como o que esta linha pode provocar traz males à saúde humana, como, por exemplo, o risco de leucemia

Um grupo de moradores da região Sudoeste de Goiânia se reuniu nesta quinta-feira (13/11) com o deputado federal e senador eleito Ronaldo Caiado (DEM) para evitar que seja instalada uma linha de transmissão da Celg na região onde vive. Segundo eles, a obra colocaria em risco a vida dos 20 mil moradores.

Uma linha de transmissão de alta intensidade foi projetada para ligar subestações e ampliar o serviço de fornecimento de energia elétrica na capital do estado. No entanto, das quatro opções de trajeto, a CELG optou pela que vai atingir o maior número de pessoas, passando pelos bairros de Parque Anhanguera, Residencial Canadá, Setor Faiçalville, Setor Santa Rita, Jardim Presidente, Três Marias, Jardim Europa e Parque Amazonas. A alegação é que duas outras seriam inviáveis financeiramente e que uma terceira “prejudicaria o setor imobiliário”. Os postes já começaram a ser instalados.

Caiado ressaltou que, como médico, sabe da ocorrência de estudos que indicam que a presença de campos magnéticos como o que esta linha pode provocar traz males à saúde humana, como, por exemplo, o risco de leucemia.

O deputado lembra que países como Canadá e Suíça proíbem a instalação de redes de alta tensão a menos de 40 metros de qualquer construção habitacional. A Celg, por sua vez, estabelece em seu regulamento uma distância de 16 metros do canteiro central e outros 6 metros de distância de meio-fio a meio-fio. E mesmo isso, sustenta, tem sido desrespeitado pela companhia, já que no Setor Santa Rita alguns postes chegam a ficar a 1,70m da parede de uma residência.

“É um total desrespeito aos moradores que não devem pagar com a saúde de seus filhos pela péssima gerência da Celg. A companhia quer amenizar sua situação financeira fazendo economia com a vida alheia. Gostaria de perguntar ao presidente da Celg, José Navarrete, se a saúde de um familiar seu pode ser mensurada dessa forma”, indagou o democrata.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Otavio Manei

Excelente argumento do então eleito Senador Ronaldo Caiado, fazendo jus aos direitos básicos do cidadão brasileiro. Pelo exposto em relação a Celg, a mesma deve rever as medidas de segurança, e absorver o fato como exemplo, para que na próxima vez pensem em primeiro lugar na saúde e bem estar das comunidades que serão envolvidas.
Por fim, parabéns aos moradores e as todos que estão na linha de frente do movimento, fazendo valer os princípios básicos da saúde, dignidade da pessoa humana, entre outros.