Romero Jucá pede licença do Ministério do Planejamento

Flagrado em conversa comprometedora, ministro resolveu se afastar do cargo até que o Ministério Público se posicione sobre a situação

Senador Romero Jucá | Foto: Lula Marques/Agência PT

Senador disse estar seguro de não ter cometido irregularidades | Foto: Lula Marques/Agência PT

Depois de ter se envolvido em polêmica nesta segunda-feira (23/5) por ter sido gravado em diálogo em que sugere que o processo de impeachment foi pensado como uma maneira de barrar as investigações da Operação Lava Jato, o senador e ministro do Planejamento Romero Jucá (PMDB) resolveu pedir licença do cargo.

A partir de terça-feira (24), então, ele fica afastado do ministério. Em entrevista coletiva, Jucá disse que seu gesto é uma demonstração de que o governo “Não tem nada a esconder”. “Aguardo com toda a tranquilidade um posicionamento do Ministério Público. Apoiei publicamente Rodrigo Janot [procurador-geral da República] e estou seguro de que não cometi irregularidade”, garantiu.

Jucá disse ainda que o presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), o apoiou na decisão de pedir licença: “Presidente entendeu minha condição”, garantiu. Agora, Jucá retorna ao Senado e segue na presidência nacional do PMDB.

A conversa, divulgada pelo jornal Folha de São Paulo, mostra diálogo entre Jucá e o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado. No áudio, Jucá diz que “Tem que mudar o governo para estancar essa sangria” e que um possível governo de Michel Temer precisaria fazer um pacto com nacional inclusive com o Supremo Tribunal Federal para suspender as investigações.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.