Rogério Cruz visita Iris Rezende para fortalecer relação do Paço com MDB

A intenção é fortalecer a relação do Paço Municipal com o MDB e evitar desgastes com o partido

Solenidade de posse do prefeito Rogério Cruz | Foto: Lívia Barbosa / Jornal Opção

O prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), realizou agenda externa na manhã desta quarta-feira, 7, para visita ao ex-prefeito Iris Rezende (MDB). A intenção é fortalecer a relação do Paço Municipal com o MDB após a debandada de 14 secretários na última segunda-feira, 5.

Segundo apurou o Jornal Opção, o prefeito, que estava acompanhado do secretário de Governo, Arthur Bernardes, quer afastar a crise ocorrida com nomes ligados ao presidente do MDB, Daniel Vilela, do restante do partido.

Rogério tentou convencer Iris de que os decretos de paralisação de obras de asfalto, que culminaram com o pedido de exoneração do ex-deputado Luiz Bittencourt, não têm a intenção de prejudicar o partido ou o ex-prefeito. Iris, no entanto, não teria emitido opinião sobre a questão, pois, como tem dito, não tem entrado em questões políticas.

A prefeitura tenta descolar a debandada dos 14 secretários de uma crise com o MDB. Deixando na conta do grupo de Daniel Vilela o esgarçamento da relação com o Paço. Neste sentido, é importante que haja a anuência de Iris Rezende. Para isso, é preciso afastar qualquer conflito que a paralisação das obras iniciadas pelo emedebista possa gerar com outros grupos do partido, sobretudo aos ligados ao decano.

Câmara

O Paço vê na relação com os vereadores do MDB — os seis se mantiveram na base — essa salvaguarda de que não há um rompimento total com o partido, mas com o grupo de Daniel. Além disso, a manutenção de um bom relacionamento com a Câmara é considerada essencial para a sobrevivência a médio prazo da gestão de Rogério Cruz.

O discurso do Paço é que a paralisação das obras de asfalto visa dar transparência à gestão. Mas faz parte da tentativa de Rogério manter a relação com o Legislativo com o mínimo conflito possível, já que a Comissão Especial de Inquérito (CEI), de autoria de Santana Gomes (PRTB), que levantou as suspeitas sobre os contratos de asfalto, contava com pelo menos 16 assinaturas.

“A paralisação dos contratos é uma forma de a prefeitura mostrar transparência. Não há qualquer acusação, somente investigação de uma acusação feita por mais da metade da Câmara Municipal. Fazemos isso para proteger o recurso público. No entanto não há paralisação das obras, que continuam sendo feitas com as usinas próprias”, aponta o secretário de Comunicação, Marcos Teixeira.

O presidente da Câmara Municipal, Romário Policarpo (Patriota), também foi ao encontro do ex-prefeito nesta quarta, mas em outro horário. Iris Rezende também recebeu o governador Ronaldo Caiado (DEM), na segunda-feira, e Daniel Vilela na terça, 6.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.