Rogério Cruz descarta passaporte da vacina em Goiânia

Em coletiva de impressa, prefeito e secretário de Saúde, Durval Pedroso, informam que não há necessidade do documento até o momento

Nesta sexta-feira, 3, o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), informou que, no momento, não há necessidade do passaporte de vacinação, durante entrevista coletiva junto a Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Segundo ele, o ConecteSUS informa esse tipo de comprovante, tornando que não há recomendação, por parte da Prefeitura, por tal exigência. 

O evento foi realizado durante o lançamento do VacinaAção, programa de vacinação itinerante que propõe levar doses do imunizante contra Covid-19 em locais de grande fluxo de pessoas, em Goiânia. O representante da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Durval Pedroso, também explica não vê a obrigação da recomendação do passaporte. Ainda sobre o assunto, o prefeito informou que nada impede que eventos culturais exijam qualquer tipo de comprovação de imunização do documento para que as pessoas possam adentrar aos locais. 

Foi informado também que Goiânia analisa a realização de eventos de festa de final do ano. Até o momento, não há definição sobre isso, mas a nova variante, Ômicron, preocupa as entidades. Até o momento, onze cidades já confirmaram o cancelamento da festa de Réveillon na virada de 2021 para 2022. Dessas, duas também decidiram anular a folia de Carnaval, em razão da variante Ômicron de origem africana. Outros prefeitos e governadores avaliam a decisão. Em Goiás, as prefeituras de Caldas Novas e Aruanã também cogitam o cancelamento da festividade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.