Rodrigo Pacheco e Sérgio Moro definem partidos para filiação

Ao escolherem o PSD e o Podemos, respectivamente, ambos ampliam as opções de quem deve compor a almejada terceira via que concorrerá com Lula e Bolsonaro em 2022

Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, e ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, decidem ingressar em partidos de centro. Enquanto Moro deve se filiar ao Podemos, Pacheco irá se dirigir ao PSD, que possui a segunda maior bancada do Senado e o deixa mais perto da corrida presidencial. Ainda que o presidente da Casa ainda não tenha confirmado o interesse na disputa, o presidente da sigla, Gilberto Kassab, é um grande apoiador dessa ideia.

O evento de filiação de Rodrigo Pacheco ao PSD, inclusive, já está agendado para a próxima quarta-feira, 27, no Memorial JK, em Brasília. Um dos objetivos da cerimônia é homenagear o ex-presidente do Brasil, Juscelino Kubitscheck.

“Pacheco torna-se um dos principais quadros do partido. Por ser jovem, ele expressa a renovação que tantos querem no Brasil, e, ao mesmo tempo, tem muita experiência. Ocupou o espaço no cenário político em locais que só pessoas preparadas e com talento ocupam, como as presidências do Senado e da Comissão e da Constituição e Justiça (CCJ). Se depender de todos nós, ele aceitará o convite que aprovar para que seja o nosso candidato em 2022. Nós entendemos que ele pode vencer como portal”, afirma o presidente do PSD.

Apesar de só ser sido aceita neste momento, a proposta de filiação ao PSD foi realizada a Pacheco há meses. No entanto, o senador preferiu aguardar as definições quanto a fusão do DEM – seu atual partido – com o PSL para oficializar. Caso não seja possível uma candidatura nacional, Pacheco visa o governo de Minas Gerais, seu estado.

Ainda antes de oficializar sua ida ao PSD, Pacheco já passara a ser encarado por Bolsonaro como adversário. Isso, porque tanto Pacheco quanto Moro são visualizados como possibilidades a uma terceira via, para disputarem contra Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (sem partido). Neste sábado, o senador irá participar de um evento nacional do PSD, no Rio de Janeiro. Já nas próximas semanas, embarcará em uma série de viagens pelas unidades federativas, com a intenção de se tornar mais conhecido nacionalmente.

Já Sérgio Moro, ainda que seja votado para a corrida presencial, o ex-juiz ainda não decidiu se irá pleitear a Presidência da República ou o Senado. Segundo O Globo, Moro tem afirmado querer uma posição de destaque no Palácio de 2022 para rebater argumentos disparados por Lula. No entanto, outros presidenciáveis, como o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) tem tentado convencer Moro de concorrerr ao Senado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.