Apesar de ter sua candidatura muito questionada, deputado do DEM conseguiu se manter no cargo que ocupa desde julho do ano passado

O deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) foi reeleito, nesta quinta-feira (2/2), presidente da Câmara dos Deputados. Com 293 votos, ele foi mantido no cargo que ocupa desde julho do ano passado, quando substituiu o ex-deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que renunciou ao cargo.

[relacionadas artigos=”86218″]

Justamente por já estar no cargo, em um mandato-tampão, sua candidatura era bastante contestada em várias ações no Supremo Tribunal Federal (STF). Isso porque o regimento interno proíbe a reeleição em uma mesma legislatura. Na noite da última quarta-feira (1º), no entanto, o ministro Celso de Mello liberou que ele disputasse mesmo que o caso ainda não tenha sido votado em definitivo na Suprema Corte.

Candidato de Goiás, o deputado federal Jovair Arantes (PTB-GO) ficou em segundo lugar, com 105 votos. Em seguida, vieram André Figueiredo (PDT-CE), com 59 votos; Luiza Erundina (Psol-SP), com 10; Júlio Delgado (PSB-MG), com 28; e o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), com quatro votos. Cinco deputados votaram em branco.

Além de Maia, cinco deputados oficializaram as candidaturas para a presidência da Casa: André Figueiredo (PDT-CE), Jovair Arantes (PTB-GO), Luiza Erundina (PSOL-SP), Júlio Delgado (PSB-MG). O último a registrar seu nome foi o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ). O deputado Rogério Rosso (PSD-DF), que havia sido um dos primeiros a se candidatar, desistiu.