Revoltados, moradores de Alexânia tentam linchar jovem que atirou 11 vezes em menor

Misael Pereira, de 19 anos, foi ouvido durante audiência de custódia na tarde desta terça-feira (7), quando ficou cara a cara com a mãe da jovem Raphaella

Este slideshow necessita de JavaScript.

Suspeito do assassinato da estudante Raphaella Noviski, de 16 anos, Misael Pereira, de 19, foi ouvido na tarde desta terça-feira (7/11) durante audiência de custódia, no Fórum da Comarca de Alexânia, no Entorno do Distrito Federal.

Durante a audiência, o juiz Leonardo Lopes dos Santos Bordini decidiu que Misael e Davi José de Souza, 49, apontado como comparsa do jovem, ficarão presos preventivamente.

Do lado de fora do Fórum, cerca de 90 pessoas acompanharam a sessão e gritaram por justiça. Quando a dupla saiu no camburão de volta para a Unidade Prisional de Alexânia, os populares tentaram até mesmo conter o veículo, sendo necessária a intervenção da Polícia Militar.

Na audiência, a mãe da jovem Raphaella, Rosângela Cristina Afonso Silva, ficou cerca de meia hora frente a frente com o assassino da filha. À imprensa, ela afirmou que foi até ao fórum, pois queria “olhar para ele” e ver o que tinha a dizer.

Raphaella foi morta com 11 tiros no rosto, após Misael invadir a Escola Estadual 13 de Maio, em Alexânia, na manhã da última segunda-feira (6/11). Em um vídeo liberado pela Polícia Civil, o jovem confessou o crime e conta, com riqueza de detalhes, por que resolveu matar a jovem.

Na gravação de 6 minutos, o suspeito demonstra total frieza e alega que não havia contado para ninguém o seu plano. Ele também relata que matou Raphaella porque a “odeia”, mas negou ter sofrido qualquer tipo de violência ou desprezo por parte da vítima. Quando questionado sobre razão do ódio, disse “não conseguir explicar”.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.