Revisão do Plano de Manejo é apresentada em reunião da APA João Leite

O Plano de Manejo é o documento técnico que estabelece o zoneamento e as normas para as atividades desenvolvidas na APA João Leite

Divulgação.

Questões como área de expansão urbana, licenciamento ambiental, fiscalização e recuperação de áreas degradadas serão tratadas na revisão do Plano de Manejo da Área de Proteção Ambiental (APA) João Leite.

O Plano de Trabalho e a empresa contratada para fazer a revisão foram apresentados durante a I Reunião Extraordinária do Conselho Consultivo da APA realizada nesta sexta-feira (17/8) , no auditório do CREA-GO.

A apresentação foi feita pelo presidente do Conselho, o gestor governamental de Recursos Naturais da Gerência de Compensação e Áreas Protegidas da Secima, Marcelo Alves Pacheco. Ele informou que revisão do Plano de Manejo ficará sob a responsabilidade da empresa STCP Engenharia de Projetos Ltda, contratada por meio de licitação pública.

A revisão está orçada em R$ 750 mil e será bancada com recursos oriundos do Fundo Estadual do Meio Ambiente (Fema). Os trabalhos devem ser concluídos em dezembro deste ano.
Ele envolve os municípios de Ouro Verde de Goiás, Campo Limpo de Goiás, Anápolis, Nerópolis, Terezópolis de Goiás, Goianápolis e Goiânia.

O Conselho Consultivo da APA João Leite é composto por 28 conselheiros, que representam as sete prefeituras municipais abrangidas, sete instituições do setor público (Secima, Comitês das Bacias dos Rios Meia Ponte e do Paranaíba, Saneago, Emater, CREA e UFG) e 14 organizações da sociedade civil (Faeg, Fieg, Associação Verdivale, Aego, Santa Branca Ecoturismo, Arca, Abes, Ases, Senge, ADGA, Senicer, Fundação Paulo de Tarso e Acesam).

APA João Leite

O APA João Leite tem área total de 72.128 hectares. Na unidade de conservação ambiental está localizada a barragem do Ribeirão João Leite, utilizada para o abastecimento de água de parte da população de Goiânia e de Aparecida de Goiânia.

Objetivo do plano de ação é proteger os recursos hídricos da Bacia Hidrográfica do Ribeirão João Leite; assegurar condições para o uso do solo compatíveis com a preservação dos recursos hídricos; conciliar as atividades econômicas e a preservação ambiental; proteger os remanescentes do bioma Cerrado; melhorar a qualidade de vida da população local por meio de orientação e do disciplinamento das atividades econômicas; assim como disciplinar o turismo ecológico e fomentar a educação ambiental.

Deixe um comentário