Retomada econômica surte efeito e Goiás cria 17.990 empregos em fevereiro

Resultado coloca Goiás novamente na primeira colocação entre estados da região Centro-Oeste. Em dois meses de 2021 já são 34.447 trabalhadores contratados no território goiano, ante 26.258 ao longo do ano passado

A retomada econômica proposta pelo governo Ronaldo Caiado (DEM) desde meados do ano passado ainda surte efeitos. Em apenas dois meses de 2021, o estado superio o saldo registrado em todo ano de 2020. Naquele ano foram 26.258 carteiras de trabalho assinadas. De acordo com os dados divulgados nesta terça-fei, 30, pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), órgão do Ministério da Economia, o Estado apresentou saldo de 17.990 novas vagas em fevereiro.

Somadas às 16.457 de janeiro, o resultado são 34.447 trabalhadores contratados no território goiano nesse período. Com isso, Goiás assume novamente a primeira colocação entre estados da região Centro-Oeste. Para se ter uma ideia, Mato Grosso criou 11.795 vagas, Mato Grosso do Sul 7.054 e o Distrito Federal 3.238.

No cenário nacional, Goiás se destaca ficando em sétimo lugar, atrás de São Paulo (1º/128.505 vagas), Minas Gerais (2º/51.939), Paraná (3º/41.616), Santa Catarina (4º/33.994), Rio Grande do Sul (5º/29.587) e Bahia (6º/18.993). Quando é feita a avaliação dos dois primeiros meses de 2021, Goiás pula para o sexto lugar nacional na geração de empregos, atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Nos últimos 14 meses de registro, de janeiro de 2020 a fevereiro de 2021, Goiás soma 60.705 vagas com Carteira de Trabalho assinada. Nesse período, apenas em quatro meses os números do emprego em Goiás ficaram com saldo negativo (março, abril, maio e dezembro de 2020).

Retomada

O resultado é reflexo das medidas, realizadas a partir de meados do ano passado, que colocaram Goiás na dianteira para enfrentar a crise causada pela pandemia de Covid-19. A primeira medida adotada foi a criação da Secretaria da Retomada com apoio aos micro e pequenos empresários, empresários individuais, como também a área de turismo, do lazer, da cultura, para que fossem resgatados e você vê que Goiás respondeu como exemplo para o país.

Um dos setores da economia que mais sofreu com a perda de vagas de empregos em 2020 foi o de serviços. E, através dos estimulos, o setor despontou já em fevereiro como o maior gerador de vagas, com registro de 7.204 carteiras assinadas, seguido pelos setores de indústria (4.382), comércio (3.697), agropecuária (1.453) e construção (1.254).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.