Presidente do Conselho, deputado Henrique Arantes falou ao Jornal Opção como o assunto será conduzido 

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

[relacionadas artigos=”177146″]

O presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), confirmou ao Jornal Opção o recebimento da representação do deputado Cláudio Meirelles (PTC) e da deputada Lêda Borges (PSDB) contra o colega de Parlamento, Amauri Ribeiro (PRP).

A representação tende a seguir para o Conselho de Ética da Casa que irá julgar a conduta do parlamentar. A reportagem procurou o presidente do Conselho, deputado Henrique Arantes (PTB), que afirmou ainda não ter recebido a solicitação.

“Assim que ela (a representação) chegar ao Conselho, nós iremos notificar o deputado sobre as acusações que foram feitas contra ele e nomear um relator para o processo”, destacou Arantes.

[relacionadas artigos=”177256″]

Depois de considerar a situação inédita, Arantes adiantou: “não foi algo extremamente grave. Creio que o parlamentar não tenha seu mandato suspenso. Isso é demais. Não houve agressão física nem nada do tipo”, lembrou.

Há tempos os parlamentares trocam farpas no Legislativo. Mas a situação ganhou protagonismo na sessão ordinária do dia 10 de abril quando Meirelles subiu à tribuna para criticar Ribeiro por excessos. O parlamentar, por sua vez, rebateu. A discussão ficou acalorada quando Ribeiro se dirigiu a tribuna onde o parlamentar discursava para responde-lo.

Tentativa de agressão

O deputado Claudio Meirelles disse ao Jornal Opção que logo após as trocas de farpas em plenário, os deputados se reuniram na sala da presidência. Na ocasião, Amauri teria tentado agredir Meireles fisicamente. O deputado negou as acusações. “Pode perguntar para várias testemunhas, eu estava na presidência quando a Lêda e o Claúdio foram lá discutir. Não existe essa história de agressão”.