Renúncias de governadores abrem espaço para duas mulheres em executivos estaduais

As duas novas governadoras se somam à Fátima Bezerra (PT), única governadora eleita nas eleições de 2018

As renúncias dos governadores do Ceará, Camilo Santana (PT), e do Piauí, Welligton Dias (PT), abriram espaço para que duas mulheres assumissem os postos de chefes do executivo estadual. Agora, Izolda Cela (PDT) e Maria Regina Souza (PT) são as primeiras governadoras do Ceará e do Piauí, respectivamente. Ambas foram eleitas vices-governadoras nas eleições de 2018 e assumiram os postos no último final de semana, após os titulares deixarem os cargos para concorrerem ao Senado Federal pelos respectivos estados nas eleições de outubro.  

Com isso, as 27 unidades da federação passam a ter três mulheres na liderança do executivo. Isso porque, as duas novas governadoras se somam a única governadora eleita nas eleições de 2018, Fátima Bezerra (PT), que administra o Rio Grande do Norte. A única que não é pré-candidata à reeleição é a governadora do Piauí.  

Além das duas novas governadoras, há mais quatro novos nomes no executivo estadual após a renúncia dos respectivos governadores. São eles Renan Filho (MDB), que deixou o cargo em Alagoas para concorrer ao Senado; João Dória (PSDB), que deixou o posto para o vice, Rodrigo Garcia (PSDB), para concorrer à presidência da República; Eduardo Leite (PSDB), que deixou o posto para Ranolfo Vieira (PSDB), também com ambição de concorrer à presidência; e Flávio Dino (PSB), que é pré-candidato ao Senado pelo Maranhão. Ele deixou o posto para Carlos Brandão (PSB).  Já em relação a Renan Filho, a Assembleia de Alagoas vai convocar uma eleição indireta para definir o substituto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.