Renda Família será apresentado na volta do recesso da Câmara

Projeto de Lei que prevê ajuda de R$ 300 por mês para atender aos mais vulneráveis foi criado pela Prefeitura de Goiânia

Secretário de Desenvolvimento Humano e Social de Goiânia, Zé Antônio | Foto: Reprodução

O secretário Zé Antônio falou ao Jornal Opção sobre suas primeiras ações à frente da Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social de Goiânia. Após tomar par de todas as peculiaridades da pasta, ele iniciou a etapa de visitações — a unidades como Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e Casas de Acolhida — e garante que a gestão atual tem como carro chefe a área social.

De imediato, Zé Antônio aponta dois projetos a cargo de sua secretaria que possuem grande impacto social: o IPTU social e o Renda Família. O primeiro é um benefício que deve alcançar 50,9 mil lares goianienses. O impacto para o município é previsto em R$ 8,4 milhões.

O IPTU Social isenta de pagamento do imposto famílias que possuem e residem em imóveis com valores venais até R$ 60 mil. Para famílias com imóveis com valores entre R$ 60 mil e R$ 100 mil, o benefício prevê a isenção caso todos os moradores não possuam emprego formal, nem renda mensal fixa, benefício previdenciário ou seguro-desemprego.

Renda Família

“Vamos apresentar o IPTU social oficialmente nesta semana. E a nossa secretaria vai acompanhar aos beneficiários por meios dos assistentes sociais”, detalha o secretário de Desenvolvimento Humano e Social. Já o programa Renda Família que ainda precisa passar pela Câmara.

A proposta já está formatada e será apresentada já nas primeiras sessões, após o fim do recesso da Casa Legislativa. “Será uma ajuda de R$ 300 por mês para atender aos mais vulneráveis que se enquadrem nos critérios da lei. Esperamos que a matéria seja apreciada na próxima semana”, adianta Zé Antônio.

Para verificação dos critérios, será utilizado o CAD único. “Faremos o levantamento e análise dos perfis. A ideia é atender a todos que tenham o perfil previsto no projeto”, diz Zé Antônio.  Outra frente de trabalho já iniciada é uma séries de reuniões com coordenadores das Casas de Acolhida.

O objetivo é elaborar um plano de ação para esses espaços em meio ao avanço da pandemia da Covid-19. “O prefeito Rogério e o nosso plano tem esse olhar para assistência social, esses dois programas que citei confirmam essa prioridade”, arremata o secretário, ao frisar desafio e compromisso em atender às necessidades dos goianienses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.