Nesta quarta-feira, 19, a Comissão de Educação do Senado aprovou o relatório do novo ensino médio. Além disso, os senadores aprovaram também um requerimento de urgência. O que significa que podem votar o texto em plenário ainda no mesmo dia.

Caso os senadores aprovem as alterações da proposta, o texto voltará para votação na Câmara dos Deputados. A relatora do projeto, senadora Professora Dorinha (UB – TO) fez novas mudanças relativas a carga horária.

Na proposta, serão 2.400 horas de disciplinas obrigatórias e mais 600 horas para a parte mais flexível do currículo, o chamado itinerário formativo.

A relatora havia sugerido que as disciplinas como matemática e português cumprissem carga horária de 2.200 horas. Entretanto, os deputados aprovaram o projeto com 2.100 horas para essas matérias.

No ensino profissionalizante, são 2.200 horas para a carga horária comum e 800 horas de aulas específicas do curso técnico. Dorinha retomou uma alteração feita pelos deputados e voltou com a obrigatoriedade da língua espanhola nas escolas públicas.

Além disso, a relatora propôs que os alunos do ensino profissionalizante tenham um aumento na carga horária das disciplinas a partir de 2029.

Leia também:

Pré-candidato a vice-prefeito de Goiânia, Fred Rodrigues defende iniciativa privada na educação básica

Ministério da Educação prorroga inscrições para o Enem até 14 de junho

Governo de Goiás entrega 10 novos colégios no Entorno do DF