Reitor da UFG é vaiado ao citar Paulo Freire em discurso

Relatos apontam que momento foi pequeno perto dos aplausos que Edward Madureira recebeu antes e depois do protesto

Reitor da UFG Edward Madureira | Foto: Fábio Costa /Jornal Opção

A Associação dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg) divulgou que, na quinta-feira, 9, durante a colação de grau do curso de Medicina, o reitor Edward Madureira foi vaiado ao citar Paulo Freire em seu discurso.

Segundo a associação, apesar disso, as vaias logo foram ofuscadas por palmas de uma plateia de 5 mil pessoas. O público assistia à formatura de 100 estudantes de Medicina da Universidade Federal de Goiás (UFG), no Centro de Convenções da instituição.

O ato foi repudiado pelo presidente do Adufg-Sindicato, Flávio Alves da Silva, que destacou a trajetória de Madureira como educador e o seu trabalho na defesa de uma Educação pública, gratuita, laica e de qualidade”, escreveu a associação em suas redes sociais.

O pró-reitor Adjunto de Graduação da UFG Israel Elias Trindade destacou que o discurso de Edward foi mais aplaudido do que vaiado. “Citou as pesquisas realizadas em laboratórios da UFG que proporcionaram o diagnóstico do câncer a partir da cera do ouvido, a tecnologia de produção de novas baterias e telas de LEDs a base de cádmio, dentre outras, que representam ganhos de eficiência e economia de tempo e dinheiro público. A cada paralelo, Prof. Edward era interrompido com longos aplausos”, sublinhou.

Mas também relatou o pequeno infortúnio: “Ao final de seu discurso, o reitor fez uma citação de Paulo Freire que diz muito sobre sua trajetória enquanto professor e reitor da UFG por três mandatos. Uma citação que pauta em valores e princípios básicos na construção de uma sociedade mais justa, libertadora e humana. Neste momento, foi interrompido com protestos isolados de alguns que ainda se esforçam para não reconhecer o legado histórico de Paulo Freire à educação. Esses protestos foram sufocados, no mesmo momento, por uma onda de aplausos”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.