A TV Globo emitiu uma nota se posicionando sobre as declarações de Maria de Fátima e disse que “entende” a dor, mas que as afirmações “não tem fundamento”

regina casé e maria
À esquerda Maria de Fátima, mãe do DG. À direita Regina Casé | Fotos: Antônio Cruz / Agência Brasil – Reprodução Facebook

A auxiliar de enfermagem Maria de Fátima da Silva, mãe do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, conhecido como DG, que trabalhava no programa “Esquenta!”, afirmou que a mídia “usou o tempo todo” a imagem da morte de seu filho. Durante debate no evento Sernegra, que discutia, na última quinta-feira (20/11) em Brasília, discriminação racial, Maria de Fátima chamou Regina Casé de mentirosa e farsante.

DG foi morto em abril deste ano durante ação da polícia militar na comunidade do Pavão-Pavãozinho, no Rio de Janeiro. Segundo a auxiliar, poucas horas depois da morte a produção da TV Globo a convidou para participar do programa. “Praticamente me arrancaram da minha casa, me levaram para a TV e limitaram o que eu devia falar. Ela [Casé] disse para mim que eu só deveria responder o que eles me perguntassem”, disse a auxiliar, durante um debate do evento Sernegra, que discutia, na última quinta-feira (20) em Brasília, discriminação racial.

A mãe do dançarino, ainda asseverou, em tom crítico, que ela e seus familiares, que incluíam duas mulheres grávidas, foram “trancados” em um pequeno cômodo até o início das gravações: “O único local que a gente podia circular era o salão de beleza. Eu estava há 80 horas sem dormir. Eu queria uma solução imediata que esclarecesse a morte do meu filho”.

Ainda de acordo com ela, durante a sua participação na atração, “alguém” jogou uma suposta agenda do programa em sua bolsa, que trazia em uma página, escrita à mão, a frase “solta as fotos sensacionalistas, que é para a mãe chorar”. “Em nenhum momento do programa vocês viram ela falar de violência da polícia, e quando eu ia falar, era cortada”, declarou.

O programa “Esquenta!” em homenagem ao dançarino DG foi ao ar em 27 de abril deste ano. Neste domingo (23/11), no início da atração a apresentadora disse que chegou lá “triste e arrasada”, no entanto, não quis comentar o caso.

Nesta segunda feira (24), a TV Globo emitiu uma nota se posicionando sobre as declarações de Maria de Fátima e disse que “entende” a dor, mas que as afirmações “não tem fundamento”.