Região Noroeste tem maior taxa de positividade de Covid-19 da capital

Enquanto Goiânia registra taxa de 2.1% de infectados, região Noroeste chega a 4%; No Sul ficou em torno de 3%, e o distrito Oeste foi o que registrou menor taxa, cerca de 1%

O professor João Bosco Siqueira, pesquisador do Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública (IPTSP/UFG), falou ao Jornal Opção sobre a taxa de positividade em testes de Covid-19 em Goiânia. Esse é um dos critérios seguros para afrouxamento das medidas de isolamento social, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

A OMS recomenda que as autoridades de saúde só flexibilizem ações de distanciamento social quando essa taxa for de pelo menos 5%, e se mantiver estável durante duas semanas, pelo menos.

“Quando a gente vai olhar a população [de Goiânia], que é dividida em sete distritos sanitários, a gente precisa conhecer como a doença vai evoluindo ao longo do tempo. Cerca de 2% da população goianiense já teve a doença. Isso representa um aumento de 200% em três semanas”, explica ao detalhar que o primeiro inquérito foi dia 30/5.

Segundo o pesquisador, é impressionante observar que levamos meses para chegar a 1%. “No primeiro inquérito deu 0.7% e em 3 semanas aumentamos 200%. E esse ainda não é o pior momento, porque a semana seguinte foi pior no número de internações e o próximo inquérito sairá no sábado da semana que vem”, explica.

“É possível um aumento ainda superior a 200%, é difícil fazer essa previsão. Mas devemos ter um aumento substancial. Na verdade são poucos locais que fazem esse esforço de Goiânia com os inquéritos. Imagina visitar duas mil residências e fazer testes nessa quantidade de pessoas”, afirma João Bosco.

Ainda de acordo com o pesquisador, é preciso acompanhar o cenário de casos que estão acontecendo. “Esse inquérito revela um cenário passado. de 10, 15 dias atrás”, argumenta ao se referir sobre o último inquérito que apontou 31.838 (2,1%) de infectados em Goiânia no dia 06/06 (coletado em 20/06).

Região Noroeste

A Região Noroeste de Goiânia, que antes praticamente não tinha infecção, teve um registro de 4% de infectados. É maior do que a cidade como um todo, aponta o pesquisador.

“Mas isso é dinâmico, no próximo inquérito pode mudar essa região”, esclarece João Bosco ao afirmar que a reabertura feita na capital não foi baseada somente com dados de inquéritos, mas de todo cenário. “Vale lembrar que a Itália chegou a 50% e a Espanha chegou a 15% de taxa de positividade”, encerra.

Inquérito apontou que 31.838 mil pessoas já foram infectadas por Covid-19 em Goiânia

O resultado do terceiro inquérito sorológico realizado pela Prefeitura de Goiânia, via Secretaria Municipal de Saúde (SMS), sobre o novo coronavírus indica que 2,1% da população, ou 31.838 mil pessoas, já tiveram a doença, até o dia 10/06/2020.

A pesquisa foi feita com 2.628 pessoas. Elas foram testadas por profissionais de saúde após terem sido escolhidas por sorteio que contemplou os sete distritos sanitários da capital.

Cada distrito apresentou uma taxa de infecção diferente. No distrito Noroeste, a doença já chegou a cerca de 4%. No Sul ficou em torno de 3%, e o distrito Oeste foi o que registrou menor taxa, cerca de 1%.

A pesquisa tem como objetivo ver a real disseminação da Covid-19 em Goiânia. Até o momento já foram testadas 9.028 pessoas e um novo inquérito está previsto para o dia 11/07 pra ver a evolução da infecção na capital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.