Região da 44 terá que se reorganizar após novo decreto da Prefeitura de Goiânia

Decreto publicado pelo prefeito Rogério Cruz mudou os dias e horário de funcionamento da região comercial de Goiânia

Região da Rua 44 | Foto: reprodução

No novo decreto publicado pelo prefeito Rogério Cruz, ficou decidido que a região da 44 irá funcionar de quarta a sábado, das 7h às 15h. No antigo decreto, as lojas funcionavam todos os dias da semana, das 8h às 18h. Em entrevista coletiva realizada na manhã desta terça-feira, 23, Crhystiano Câmara, presidente da Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), garantiu que a associação irá cobrar que todos os lojistas cumpram as regras de uso de máscaras e álcool em gel, além do distanciamento social. Em contrapartida, a prefeitura irá realizar a fiscalização do lado de fora dos estabelecimentos para garantir que as medidas também sejam cumpridas do lado de fora das galerias. 

Além de compradores de Goiás, a 44 recebe caravanas vindas de todo o Brasil. O presidente da AER 44 confirmou que as caravanas continuarão a frequentar a região, pois o controle que existe das informações acerca destas caravanas é rigoroso. “Essas caravanas vem com lista da ANTT, a gente sabe quem é o motorista, o guia e os passageiros. Nós temos total controle e sabemos até onde o ônibus vai parar. Eles vão continuar vindo com todo o monitoramento”, afirmou.

Com o novo decreto, a 44 irá funcionar apenas em dias e horários específicos. A mudança afetará principalmente o comprador que vem de fora do Estado, pois o fluxo maior de compradores na segunda e na terça eram de pessoas que vinham de fora. Segundo Crhystiano, essa medida é necessária para conter o avanço da pandemia em Goiânia. “Nós estamos cortando na carne, mas nós vamos manter o comércio aberto com toda a segurança e ajudar a população para que isso não se propague mais”. 

Antes lotada de pessoas, a dinâmica mudou na 44. Segundo Crhystiano, os comerciantes têm buscado realizar encomendas e comprar online ao invés de comparecer presencialmente, por conta disso o número de pessoas dentro dos ônibus diminuiu bastante. “O ônibus que antes vinha com 45 pessoas, agora está vindo com 15, 20 pessoas, incluindo os motoristas e guias”, finalizou. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.