Região da 44 intensifica movimentações para atender à demanda do fim de ano

Segundo Associação, desde setembro lojistas acompanham crescimento médio de 10% com relação a 2018, número que deve crescer ainda mais neste mês

Região da 44 | Foto: Reprodução

Reconhecido como o segundo maior polo de confecções do País, a região da 44 se movimenta desde setembro para atender à demanda do fim de ano. Com crescimento exponencial nos últimos anos, shoppings e feiras atraem 50 mil pessoas todo fim semana, número que deve ser três vezes maior durante o período de compras deste fim de 2019.

Entre as várias opções, que vão das bancas em feira livre a até as estruturas modernas de shoppings e galerias recém-inaugurados, a oportunidade de compras em atacado ou varejo com preço baixo é responsável por movimentar mais de R$ 500 milhões por ano.

O presidente da Associação Empresaria da Região da 44 (AER-44), Jairo Gomes, já comemora os resultados apresentados entre os meses de setembro e novembro. “O nosso foco é a venda em atacado, então o nosso natal começou em setembro”, destaca Jairo, que afirma que até novembro, o registro foi de aumento médio em 10% nas vendas. O presidente acrescenta que dezembro é de fato o mês mais esperado pelos comerciantes e que devem superar os 12% de aumento com relação a 2018.

“Entre setembro e novembro cerca de 2 milhões de pessoas passaram pela região, e em dezembro este número deva passar de 2,3 milhões”, disse. De acordo com líder empresarial, além do 13º salário, a liberação de valores do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) tem levado uma expectativa bem otimistas para os lojistas do segundo maior pólo de distribuição de moda do Brasil — o maior do Centro-Oeste.

Operação Boas Compras

Um dos maiores shoppings da região, o Mega Moda espera ultrapassar a média dos empreendimentos da 44 e registrar aumento de 16% em relação a 2018. A gerente de Marketing Thâmara Zaia explica que o complexo de lojas do grupo deve receber 1,5 milhão de pessoas só em dezembro.

Também com expectativa de crescimento, o shopping Estação da Moda contratou 50 novos profissionais para atuarem como consultores de venda, call centers, operadores de caixas, estoquistas e estagiários de cursos afins à moda. O mesmo caminho é trilhado pelo centro de compras Mercadão da Moda 44, por lá são 200 funcionários temporários.

Pensando no alto fluxo de pessoas, diversos órgãos trabalham em conjunto desde o dia 7 de novembro na Operação Boas Compras. A ação da Prefeitura de Goiânia envolve os trabalhos da Guarda Civil Metropolitana, Comurg, SMT, Procon Municipal, Corpo de Bombeiros entre outros oito órgãos.

O comandante da Guarda Civil Metropolitana (GCM), Gilásio Athaíde Cavalcante Filho, explica que um dos principais pedidos dos lojistas é o reforço da segurança. “Há um aumento muito grande de pessoas nas ruas, carros e ônibus”, lembra o comandante. Durante todo o mês, a estimativa é de que mais de 30 mil ônibus passem pela rodoviária da Capital.

Representando o Corpo de Bombeiros, o tenente Rodolfo Vieira Mendes explica que desde agosto a corporação vem realizando trabalhos de orientação e notificação aos estabelecimentos que precisam passar por readequações. Para a operação, a promessa é por reforço dos trabalhos. “Vamos estar lá diariamente, com dois ou três verificadores para averiguar itens como extintores de incêndio, objetos que obstruem corredores de circulação, sinalização de rotas de fugas e outros itens de controle de incêndio e pânico”, explica tenente Rodolfo.

Facilidades

Além das vantagens com relação aos baixos preços, consumidores conseguem acessar facilidades. A maior parte dos centros de vendas conta com estacionamentos, tanto para carros como para ônibus, pensando no revendedores de fora da região metropolitana. Além disso, alguns shoppings como o Estação contam com parcerias com o CityBus 2.0, que oferece viagens gratuitas para os revendedores que visitam a região.

Outro caminho que busca facilitar as compras é o serviço omnichannel da República da Moda. Com o aplicativo, o revendedor consegue coletar o QR Code das peças das roupas, sendo auxiliados por vendedores de cada loja. Após a compra por QR Code, o consumidor pode escolher em que lugar quer que a mercadoria seja entregue, sem precisar carregar pela região.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.