Redução de incentivos fiscais sugerida por Cristiane Schmidt preocupa prefeituras de Aparecida e Anápolis

“Existe um temor por parte dos empresários da cidade e eu como gestor não quero que isso ocorra”, diz Gustavo Mendanha

Fotos: Fernando Leite/Jornal Opção

Francisco Costa

A secretária estadual de Economia, Cristiane Schmidt, esteve na Assembleia Legislativa de Goiás na última quarta-feira, 27, e, na ocasião, dentre outras coisas, apontou como solução para conter o déficit financeiro rever a renúncia fiscal atual de Goiás, uma vez que, ao menos, R$ 8 bilhões não seriam arrecadados graças aos incentivos fiscais.

Ela ainda afirmou que caberia ao secretário de Estado da Indústria, Comércio e Serviços, Wilder Morais, lidar com os empresários. Procurada pelo Jornal Opção, a assessoria de comunicação do titular da pasta disse que ele não falaria sobre assunto, uma vez que a lei de Convalidação dos Incentivos Fiscais já foi votada e entra em vigor em abril. “Não tem nada para ser dito, por ora”.

Cidades industriais

Anápolis é uma das cidades goianas conhecidas por seus polos industriais. O secretário da Fazenda do município, Geraldo Lino, se mostrou preocupado com a fala da titular da pasta de Economia. Para ele, a curto prazo, a revisão das renúncias fiscais pode aumentar a arrecadação de Goiás, mas a médio e longo, se as empresas saírem, vai ser muito prejudicial.

“Perderemos emprego e renda no futuro, caso as empresas deixem nosso Estado. É preciso pesquisar e planejar muito bem antes de tomar qualquer atitude”, disse.

Prefeito de Aparecida de Goiânia, local de expressividade industrial, Gustavo Mendanha (MDB) também vê de forma delicada esta situação.

“Existe um temor por parte dos empresários da cidade e eu como gestor não quero que isso ocorra. Nós temos buscado diálogo com o Governo, através do secretário da Indústria e Comércio, Wilder Morais, e pedindo atenção especial para com Aparecida. Até porque somos uma das alavancas do desenvolvimento do Estado de Goiás e uma das cidades que tem dado a sua contrapartida”, afirmou.

O emedebista ainda reforça que o município possui importantes polos industriais, com mais de 44 mil empresas ativas, responsáveis por gerar emprego e renda no município.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.