Reconstruída há três anos, Praça Cívica é esquecida pela gestão Iris

Além disso, equívocos apontados em relatório feito pelo CAU em janeiro de 2016 ainda podem ser constatados no local com relação à acessibilidade

Este slideshow necessita de JavaScript.

Revitalizada durante a gestão do falecido ex-prefeito Paulo Garcia (PT), há exatamente três anos, a Praça Cívica é, hoje, um triste retrato do abandono pelo qual passam diversos equipamentos públicos da capital.

Durante reportagem na última quarta-feira (25/7), o Jornal Opção encontrou diversos sinais de que a atual administração de Iris Rezende (PMDB) se esqueceu completamente de um dos pontos mais importantes na história de Goiânia.

Foram encontrados locais pichados, pisos quebrados, o que dificulta a locomoção no local, e pouco cuidado com as plantas. Com a inércia da gestão Iris, a Praça Cívica vai se deteriorando a pouco mais de um ano de sua completa revitalização.

Acessibilidade

Conforme já havia constatado o CAU no ano de 2016, a instalação de rota acessível em toda a extensão da praça possibilita a circulação por ela e o acesso aos monumentos artísticos e históricos. Mesmo assim, há problemas relacionados à locomoção e à qualidade na execução do piso tátil.

A reportagem flagrou, assim como o conselho há dois anos, alguns problemas estruturais nos pisos com a verificação de danos diversos. Paralelamente, um dos principais equívocos no que diz respeito à acessibilidade da Cívica reside na falta de integração com os prédios públicos.

Isto é, percebe-se que houve uma grande preocupação na circulação na praça, mas negligenciou-se o acesso aos edifícios públicos nela existentes. A rota acessível, na maioria das vezes, continua não contemplando o acesso às entradas desses prédios.

Por fim, é possível observar, ainda, que persistem falhas na compatibilização da rota com as caixas de inspeção instaladas Praça Cívica. A existência de pequenos obstáculos num piso que deveria ser totalmente adaptado para a rolagem de cadeiras de rodas e circulação de pessoas com dificuldade de locomoção foi verificada pela reportagem

Projeto 

As obras de requalificação da Praça Cívica foram viabilizadas via PAC Cidades Históricas e contaram com investimento superior a R$ 13 milhões.

Foi resgatada a arquitetura original da praça, com características no estilo Art Decó, com a reparação do Monumento às Três Raças, o Pórtico e o Obelisco. Foram trocados o piso asfáltico por pedra portuguesa, substituídos dois quiosques por novos metálicos e com sanitários acessíveis e criados espaços de convivência para a população, uma ciclofaixa e uma rota acessível em toda a área.

Além disso, a praça recebeu uma obra do artista plástico goiano Siron Franco, feita com espelhos e estrutura de aço inoxidável, com três metros de altura e 11 metros de comprimento. A intenção é vincular passado e futuro por meio de totens, com 2,80 metros de altura, em forma de ancestrais carajás, e figuras masculinas e femininas, com 1,80 m de altura.

Outra mudança é a estátua de Pedro Ludovico Teixeira, que foi retirada da frente do palácio e colocada na parte central da praça, instalada sobre um suporte metálico de mais de 3 metros de altura.

Deixe um comentário