Recém-inaugurado, Ciams do Urias sofre com falta de medicamento e materiais básicos

Unidade que contou com festa de reabertura no último sábado (17) não tem nem luva cirúrgica para médicos em atendimento

Inaugurado no último sábado (17/2), o Ciams Urias Magalhães, que ficou fechado para reforma por cinco anos, foi apresentado à população como novo centro de especialidades médicas e odontológicas, e deveria estar em pleno funcionamento. Deveria. No entanto, essa não é a realidade que pacientes que precisam de atendimento encontram no local. O Jornal Opção esteve na unidade de saúde na tarde desta quarta-feira (21/2) e apurou uma série de irregularidades.

A emissão de autorização de exames, o conhecido “chequinho”, só funciona no período matutino. Quem precisar realizar da autorização depois das 11 horas deve procurar outra unidade de saúde. Além disso, o Ciams não conta com o serviço básico de raio-x.

Célia Izabel revoltada com situação do Ciams Urias que se negava a receber seu pai que teve ataque cardíaco | Foto: Mayara Carvalho / Jornal Opção

Em uma situação ainda mais grave, encontramos a Célia Izabel. Atrás de atendimento para o pai, Hibraim Izabel, de 83 anos, que sofreu um ataque cardíaco na manhã de hoje, ela esteve no Ciams Urias Magalhães. Lá, ele recebeu atendimento inicial e foi levado pela ambulância do Samu para realizar exames no Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo).

Após a realização de  uma tomografia, Hibraim foi mandado de volta ao Ciams Urias Magalhães, mas, segundo Célia, a unidade se recusou a receber o idoso novamente.

“Meu pai saiu pra fazer um exame e agora eles não querem receber ele de novo, porque eles não têm condições de atendimento aqui. Aqui não tem nada. Não tem um remédio, minha irmã teve que sair para comprar o remédio que meu pai precisava. A farmácia daqui eles correram e fecharam porque aqui não tem nada! Não tem nem luva. Eles pegaram luva emprestada da ambulância do Samu”, denuncia.

Em entrevista à reportagem, a diretora da unidade de saúde disse que o paciente estava recebendo o atendimento básico inicial e que seria lançado no sistema para aguardar uma vaga na UTI.

“A gente está tentando, mas como inauguramos sábado, realmente está faltando algumas coisas. Mas não é só aqui nesse Cais, né? Estamos fazendo o que gente pode”, disse.

Referência?

Ambulância do Samu emprestou materiais básicos para que Ciams conseguisse atender paciente | Foto: Mayara Carvalho / Jornal Opção

Revoltada com a situação e preocupada com estado de saúde do pai, Célia Izabel questionou o fato do Ciams ter sido reinaugurado há pouco tempo e não contar com materiais básicos de atendimento.

“Falaram que aqui ia ser um centro de referência. Referência de quê? Referência de morte, só se for. Porque de vida não é não. É tudo de fachada, só pra inglês ver. É uma vergonha, fazer uma festa pra reabrir o Cais. Se não tivesse gastado dinheiro com isso talvez teria pro medicamento, né?”, finalizou.

Jornal Opção entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde mas até a publicação desta matéria não obtivemos nenhuma resposta.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.