Recém filiado ao PP, Vanderlan diz não se importar em falar sobre troca de partido

Ex-prefeito de Senador Canedo afirmou que mudança é tranquila, pois não há falhas na sua trajetória política; também não esconde o interesse na candidatura em 2020

Vanderlan Cardoso | Foto: Arquivo

O empresário Vanderlan Cardoso (recém filiado ao PP) disse em entrevista nesta quarta-feira (18/4) que não se incomoda quando questionado sobre suas mudanças de partido. Ele afirmou que, enquanto a mídia mostra tantos casos de corrupção e desvios de dinheiro público praticado por políticos em todo o País, ele está tranquilo por que a única crítica que seus adversários podem fazer a respeito da sua trajetória política diz respeito à sua mudança de partido, pois seu nome nunca esteve envolvido em escândalos e corrupção.

“Às vezes me questionam sobre essa mudança de partido, mas eu ficaria muito triste se estivessem me questionando por meu nome estar na lava-jato, por estar envolvido em corrupção. E isso nunca houve e ninguém pode questionar”, enfatizou depois.

O ex-candidato a prefeito de Goiânia afirmou, ainda, que sempre teve um bom relacionamento dentro dos partidos que militou, e que trabalhou junto com as lideranças para fortalecimento das siglas. “Disputei o governo de Goiás, a primeira vez, dentro do PR e só tenho amigos lá. Disputei também pelo PSB, onde tenho amizades incríveis, tanto em Brasília, quanto aqui (em Goiânia) e em todos os cantos de Goiás. Não tenho problema nenhum por onde eu passo”, explicou.

Vanderlan contou que foi para o PP por que, na nova sigla, terá mais autonomia para participar das decisões sobre os rumos da eleição deste ano. O empresário também disse que, no Progressista, poderá atuar de modo mais ativo, ao lado do presidente da sigla, ministro Alexandre Baldy, que está empenhado em trazer recursos federais para Goiânia e Goiás.

O empresário comentou que, para estar em um partido, precisa haver entrosamento e entendimento entre as lideranças e que, se isso se perder, não há razão para ficar e causar constrangimentos. No entanto ele diz que sua ética e seu modo de fazer política, com foco nas pessoas, não muda nunca, independente do partido em que esteja. “Dentro de um partido eu procuro colaborar com todos. Agora, no momento que eu me sinto desconfortável, que não há entendimento, prefiro não trazer problema pra ninguém e procurar outro rumo. Agora, meus projetos, ideais e minha forma de pensar não mudam de jeito nenhum, pode ser nesse ou naquele partido”, disse.

Sem exigências

Vanderlan contou, também, que sua ida para o Partido Progressista ocorreu sem nenhuma imposição. O empresário se filiou na nova legenda dentro do período estipulado pelo TRE – Tribunal Regional Eleitoral – para quem deseja ser candidato esse ano, mas diz que não houve negociação antecipada para que a mudança ocorresse.

Segundo informou, as conversas com os pré-candidatos irão acontecer de forma mais intensa nos próximos meses, até o período das convenções partidárias, quando o PP deverá decidir pelo apoio a um dos nomes já colocados ou até mesmo pelo lançamento de nome próprio, mudando o cenário da disputa.

Questionado se ele poderia disputar vaga no legislativo ou se aceitaria entrar na campanha somente pelo executivo, como em todas as eleições anteriores que participou, Vanderlan foi direto e disse mais uma vez que não impõe candidatura. “Quando a gente diz que é um soldado do partido não fica escolhendo candidatura. Minha preferência é sempre para o executivo, por que é o que eu sei fazer. Nunca fui para uma disputa ao legislativo, mas também, o politico tem sempre que estar aprendendo. Todo dia a gente aprende um pouco”, disse.

Sobre a disputa da prefeitura de Goiânia em 2020, o empresário disse que não condicionou sua ida pra o PP na indicação do seu nome para isso, no entanto ele não esconde seu interesse em disputar, mais uma vez, a vaga ao Paço Municipal.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.