Ré acusada de elo com PCC assume cadeira de suplente na Câmara Federal

Ely do Santos (Republicanos) tomou posse no último dia 9 a pedido de pastor da Universal

Suplente do Republicanos, irmã do prefeito de Embu das Artes (região metropolitana de São Paulo), Ely Santos, assume mandato na Câmara dos Deputados. Ely é ré acusada de lavar dinheiro de tráfico de drogas em São Paulo e chegou a permanecer presa preventivamente por dois meses entre 2016 e 2017.

Seu irmão também é réu no mesmo processo e é suspeito de liderar uma organização criminosa composta por membros de sua família e demais pessoas próximas. Atualmente, ele se encontra inelegível por recebimento de dinheiro com origem ilegal durante campanha. A prisão preventiva de Ely se deu justamente no período em que o Ministério Público de São Paulo apresentou a denúncia de uma organização criminosa que teve seu irmão como principal alvo.

Ney nem mesmo compareceu a sua cerimônia de posse na Prefeitura, ao ficar foragido diante de uma ordem de prisão. Posteriormente, no entanto, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu um habeas corpus ao homem. Em junho deste ano, a Polícia Civil da Bahia chegou a fazer buscas na fazenda de um irmão de Ney e apreendeu uma arma e R$ 640 mil em dinheiro. O inquérito ainda não foi concluído e a deputada não é alvo neste caso.

*Informações de Folha de S.Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.