Rafael Lousa diz que PSDB precisa mudar práticas antes de trocar nomes de lideranças

Nomeado nesta quarta-feira (17) presidente da Goiás Turismo, filiado ao partido explicou que defende aplicação de instrumentos democráticos de interação

Foto: Fabio Costa/Jornal Opção

O empresário Rafael Lousa, que é filiado ao PSDB, disse que a legenda precisa repensar suas ações em âmbito nacional após o resultado das eleições de 2018. “O recado das urnas está dado. Estou defendendo um choque de democracia, no sentido de trazer novas práticas que permitam oxigenar o partido. Mais do que simplesmente uma troca de nomes”, disse ao Jornal Opção.

De acordo com Lousa, é precisa “passar uma mensagem de integração e participação efetiva do filiado ao partido”. “Se a gente quer passar uma ideia de reposicionamento, temos que radicalizar na democracia. Precisamos mostrar ao eleitor que ele realmente vai ter voz e ter vez”, declarou.

Segundo ele, esse pensamento não vem de hoje. “Quando presidi o PSDB Metropolitano de Goiânia, implantei as prévias porque sei que o eleitor tem vontade de participar, mas nem sempre tem chance. Essa reflexão eu já fazia como cientista político. Sempre defendi isso internamente”, acrescentou.

Nesta quarta-feira (17), a Juventude do PSDB goiano defendeu, em nota, que “partido deve ser comandado por um jovem” e que um nome deve ser apresentado para o comando do diretório estadual. Questionado, Lousa disse que não pensou sobre a possibilidade de assumir a presidência do PSDB goiano. “Não pensei ainda não, isso vai ser coisa para o ano que vem. Vou contribuir no sentido de nós termos uma postura renovada em relação à política no Brasil”, afirmou.

Segundo ele, porém, sua defesa é por eleições em todos os aspectos. “É difícil falar de renovação sem processo eleitoral. Renovação é uma consequência. Se você mudas as práticas vocês já está atendendo a anseios. Não necessariamente é preciso de mudança de nomes e rostos. É preciso instrumentos democráticos de interação”, finalizou.

Goiás Turismo

Rafael assumiu nesta quarta-feira (17/10) como presidente da Goiás Turismo. “Recebi o convite do governador para conduzir a transição até o final do ano”, disse.

Segundo ele, foi solicitado ao cargo como empresário e gestor. “Para manter o cronograma de entrega de obras e dos produtos e serviços da goiás turismo em andamento como já vinha acontecendo”, explicou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.