“Quero o melhor para a OAB, por isso escolhi apoiar Rodolfo Otávio”, diz Sebastião Macalé

O ex-presidente da Ordem aponta a instituição precisa de um líder com perfil de gestor, e por esse motivo está ao lado do candidato da chapa Movimento da Advocacia Unida

O ex-presidente da OAB-GO, Sebastião Macalé, é reconhecido pelo seu histórico junto a instituição. Sempre nas conversas com a imprensa ele faz questão de lembrar que começou como estagiário na Ordem, e saiu como presidente. É citando esse currículo que o advogado reafirma o motivo de apoiar a candidatura de Rodolfo Otávio Mota, à presidência da Seccional. “Tenho obrigação de querer o melhor para a OAB, por isso escolhi apoiar o Rodolfo Otávio.”

Além de ex-presidente, Sebastião Macalé já foi conselheiro, vice-presidente e presidente de comissões na OAB, e em razão do seu conhecimento, ele afirma que ordem é uma das instituições com maior prestígio no País, pois tem a responsabilidade de defender a Constituição e cuidar das ferramentas jurídicas. Para Macalé, Rodolfo tem o modelo de presidente que ele acredita ser capacitado para a tarefa.

Sebastião Macalé explica que apoia o projeto de Rodolfo Otávio desde quando a candidatura ainda era embrionária, isso, em razão dele sentir que a Ordem precisa de alguém com perfil gestor. “Sua capacidade de administrar e liderar são inquestionáveis. Nos últimos seis anos, transformou a CASAG. Mais do que isso, liderou uma das mais eficientes frentes de amparo à advocacia goiana num dos momentos que ela mais precisou ser amparada, como tem sido agora na pandemia”, diz.

Anuidade

Sebastião Macalé aponta que há alguns temas que o candidatos a presidente da Seccional não devem fugir. Entre eles está o valor da anuidade. O advogado salienta que a pandemia trouxe dificuldades para todas as classes, e que a advocacia não foi poupada. Por isso ele defende que há sensibilidade da Ordem em relação as cobranças.

“Uma dos pontos que me chamam atenção ao conversar com Rodolfo é que ele tem planejamento. Ele já fez os cálculos e saberá conduzir com para que o advogado não sofra com altos valores cobrados, da mesma forma que não irá comprometer o seu desenvolvimento da Ordem”, avalia Sebastião Macalé.

Advogados Dativos

O custo da Unidade de Honorários Dativos (UHDs) para os advogados do Estado de Goiás está em R$ 165,25 e isso tem atrapalhado a inserção de advogados na Advocacia Dativa, por causa dos atrasos nos pagamentos dos dativos que podem demorar até cinco anos para serem pagos a quem prestou serviço para o Estado, mesmo após a criação do Fundo Especial de Pagamento dos Advogados Dativos e do Sistema de Acesso à Justiça (Fundativa) na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) em 2016.

Neste sentido, Sebastião Macalé cita que Rodolfo Otávio tem uma proposta que representa a valorização da advocacia. Ele fala, da intensão do candidato a presidência da OAB em trabalhar pelo pagamento por meio de títulos de crédito.

A criação destes títulos de créditos faria com que os pagamentos dos advogados Dativos fosse de forma mais rápida e eficiente para todos os advogados que se dispuserem a atuar como dativo. Isso permitirá que os advogados possam receber os seus UHDs por meio destes títulos de crédito, mas é necessário que seja aprovado um dispositivo na Alego.

“O advogado precisa de alguém que lute por isso. Pelo recebimento dos valores e que seja pago o teto desses valores. Rodolfo é o que tem a melhor proposta. Essa é a demonstração de que ele está interessado em solucionar o problema, sempre pensando no benefício do advogado”, ressalta Sebastiao Macalé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.