Quem tem medo do Enem? Projeto ajuda alunos do ensino médio a encarar o exame

Iniciativa da universitária da UnB Marcela Barros, o Vest News tem conteúdo gratuito para quem vai disputar uma vaga na faculdade

Alunos do ensino médio Colégio Estadual João José Coutinho, no Conjunto Vera Cruz, em Goiânia: escola pública é o alvo principal do projeto Vest News | Foto: Divulgação

Cilas da Silva Gontijo*

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é a forma mais rápida para um aluno ingressar em uma universidade pública. Outra grande importância é a possibilidade que o estudante tem de conseguir financiamentos e bolsas em faculdades particulares ou, até mesmo, de estudar em instituições de ensino superior em Portugal. Por todos esses atrativos, grande parte dos estudantes veem no Enem uma oportunidade única de cursar uma faculdade e obter um diploma de nível superior.

Todas as pessoas que já tenham cursado ou estejam cursando o ensino médio podem fazer a prova, embora a nota só será validade se o aluno já estiver terminado ou fazendo o último ano do ensino médio no ano da prova. Os demais fazem a prova somente para adquirirem experiência – os chamados treineiros.

Fazer a prova do Enem vai muito mais além do que a autoavaliação. Na verdade, ela é como uma prova de vestibular. Há universidades privadas que usam a nota do Enem como somatória na avaliação final de seus vestibulares.

Existe também a possibilidade de entrar em uma universidade pública via Sistema de Seleção Unificada (Sisu). Nesse programa, o aluno precisa ter participado da última edição do Enem, pois é a nota a ser avaliada. A outra possibilidade é o Programa Universidade Para Todos (ProUni), que também utiliza a nota do Enem e necessariamente precisa ser igual ou maior que 450 pontos, não podendo “zerar” a redação.

Além do mais, possibilita ao aluno ter acesso a bolsas de estudos direto com as faculdades e conseguir financiamento pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), uma oportunidade que o estudante tem de pagar sua faculdade com financiamento diretamente com o governo federal, com juros abaixo da média do mercado.

Sem dúvida nenhuma, o Enem é, sim, a grande oportunidade para os jovens estudantis, sejam eles de classe média, alta ou em situação de pobreza, que sonham ter um curso superior. Nesse sentido, quem sofre mais com a falta de oportunidades e conteúdos gratuitos que colaborem no conhecimento para a realização de uma boa prova e obtenção de notas máximas é a chamada classe C.

Pensando nisso, a estudante de Ciência Política (UnB), ativista pela juventude, pela educação e também pelos direitos das mulheres Marcela Barros idealizou e criou o projeto social Vest News. O projeto surgiu em junho de 2021, a partir de uma experiência negativa da criadora, que, no ensino médio, viveu momentos estressantes, a ponto de prejudicar sua saúde mental. Baseado no que viveu, ela desenvolveu o projeto com a intenção de ajudar os jovens que desejam entrar numa faculdade via Enem, ou até mesmo por vestibulares, sem o estresse do ambiente escolar.

O Vest News é uma newsletter gratuita de conteúdos que chega por e-mail e por WhatsApp, com dicas, informações para Enem e vestibulares, tendo como principal objetivo ajudar os alunos do ensino médio a realizar uma boa prova, tanto no Enem como nos vestibulares, e a, assim, ter acesso ao ensino superior.

Duas são as missões principais do Vest News, segundo Marcela: “A missão número 1 é trazer o Enem e vestibulares numa linguagem jovem simples e divertida, para ter êxito – é preciso falar a língua do público a ser alcançado”, completa Marcela. Por esse motivo o material é elaborado com músicas e memes, entre outros recursos, deixando os estudos mais descontraídos.

“A segunda missão é trazer os diferentes assuntos a que os alunos de escolas privadas têm acesso e os quais muitas vezes não chegam à escola pública”, salientou. Para ela, os alunos das escolas públicas são prejudicados pela falta de um material mais completo, o que agora poderá ser acessado, diz a acadêmica, por meio da newsletter. Para se inscrever e receber o material, basta se conectar ao Instagram e procurar por @vestnews_. Outra forma é por grupo de WhatsApp.

“O projeto conta com aproximadamente 30 voluntários, pessoas que estão cursando o ensino médio ou acabaram de entrar na faculdade, jovens na faixa etária de 15 a 25 anos, inclusive alunos do ensino público que foram ajudados pelo projeto e que hoje fazem parte da equipe”, complementa Marcela.

O projeto é muito abrangente e não somente em Goiás, alcançando jovens de todo o Brasil, o que é um “conquista” que a internet trouxe. E como o Enem é nacional, o conteúdo poderá ser conectado e utilizado em todo o território nacional.

Marcela Barros e Bruna Miranda, em visita à redação do Jornal Opção para divulgar o Vest News | Foto: Divulgação

Bruna Miranda, de 17 anos, estudante de Direito na Fundação Getúlio Vargas (FGV), faz parte do projeto como assessora da diretoria de divulgação. “Os alunos das escolas públicas tem mais dificuldades em fazer o Enem, já que muitas vezes não acreditam no seu potencial e é para isso que existe o Vest News: para incentivar esse aluno a participar do processo, proporcionando a ele o conteúdo necessário, e mostrar que esse jovem poderá ter sua vida transformada pelo ensino superior”, afirma Bruna.

Para Marcela, o Enem é a principal porta de entrada do aluno de escola pública para uma universidade, justamente pelo fato de a nota, além de levá-lo a uma universidade federal, também lhe dar a oportunidade de cursar seu curso em faculdades particulares por meio do ProUni, Sisu e Fies.

Bruna ressalta que o Enem contém um número grande de faculdades e por isso as chances aumentam. “Vale a pena o aluno estudar para um exame que alcança uma quantidade maior de faculdades, mais do que por um vestibular em que vai alcançar uma só.”

Além de tudo isso, está sendo inserido no projeto um material de incentivo à entrada dos alunos de escolas públicas na faculdade, trazendo experiências de pessoas que estudaram no ensino público e conseguiram ingressar no ensino superior tendo suas vidas mudadas em todos os sentidos. Nele, há explicações sobre cotas sociais, Sisu, ProUni, Fies, tudo sobre inscrições, isenções etc. Basicamente, um tira-dúvidas totalmente gratuito.

Livros para todos
Como ativista pela educação, Marcela Barros criou também o projeto Livros Para Todos, que consiste em feiras literárias nas escolas públicas. Junto à distribuição dos livros, ocorre uma palestra de incentivo à leitura – sempre lembrando que todos os livros são resultado de doações, que podem ser feitas por meio do perfil do projeto no Instagram (@livrosparatodos_projeto).

* Cilas da Silva Gontijo é estudante do curso de Jornalismo das Faculdades Araguaia (UniAraguaia).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.