“Quem ganha com as Parcerias Público-Privadas é o usuário”, diz Marconi

Em evento, governador ressaltou que PPP entre produtores, comerciantes e governo transformou a Ceasa de Goiás na quarta maior do Brasil em produtos comercializados

Foto: Eduardo Junior Ferreira/Governo de Goiás

Foto: Eduardo Junior Ferreira/Governo de Goiás

As Parcerias Público-Privadas são cada vez mais necessárias ao bom desempenho das administrações públicas no Brasil. Essa foi a análise feita pelo governador Marconi Perillo (PSDB) em palestra proferida no Encontro Nacional do Abastecimento, realizada na manhã desta quinta-feira (6/10), no Hotel Oitis, em Goiânia.

“Hoje, é um dia em que vocês estão debatendo o futuro das Ceasas, das novas tecnologias, do setor hortifrutigranjeiro no país, mas é importante ressaltar que nesse país, agora, não dá mais para o governo andar sozinho com suas próprias pernas. São cada vez mais importantes as parcerias. É importante que o governo tenha sensibilidade para se abrir para as parcerias. Quem ganha com as Parcerias Público-Privadas é o público, é o usuário, é quem precisa desses serviços”, afirmou Marconi.

O governador ressaltou que nos últimos anos o governo investiu significativamente na área e, recentemente, inaugurou mais de R$ 4 milhões em obras para melhoria das instalações da Ceasa. “Isso tudo aconteceu em uma sinergia perfeita entre os produtores, comerciantes e o governo do Estado. Sem ajuda deles, nós não teríamos tido condições de realizar essas obras. Nós temos orgulho da Ceasa que temos, porque fomos capazes de enxergar esses avanços em termos de modernidade, sinergia e cooperação entre público e privado”, destacou.

Nos últimos dois dias de evento, representantes das Centrais de Abastecimento (Ceasas) de todo o Brasil estão debatendo temas sobre a gestão de resíduos sólidos, a responsabilidade socioambiental e a busca de soluções para avanços do setor hortifrutigranjeiro no país. O tema do encontro é: “O abastecimento se encontra no coração do Brasil”.

A Ceasa-Goiás é a quarta maior do Brasil no que se refere à quantidade de produtos comercializados e à movimentação financeira. Só em 2015, a Central comercializou 931.676 toneladas de hortifrútis, o que gerou uma movimentação de aproximadamente R$ 2,1 bilhões.

“Aqui nós não temos uma Parceria Público-Privada no papel. Nós temos uma altamente bem sucedida parceria entre os produtores, comerciantes e o Governo do Estado, através da Ceasa. Se podemos citar aqui em Goiás uma parceria que avançou extraordinariamente nos últimos anos e com excelentes resultados, essa parceria é entre o privado, que produz e comercializa, e o governo do Estado, através da Ceasa”, destacou Marconi.

Em entrevista, parabenizou os produtores hortifrutigranjeiros em Goiás e a qualidade dos produtos produzidos aqui. “O que há de mais moderno e avançado em termos de tecnologia tem sido aplicado pelos produtores que servem à Ceasa. Outro aspecto importante é que esse ramo de atividade conseguiu vencer a crise. No passado, por exemplo, esse segmento registrou um crescimento de 20%, enquanto o PIB do Brasil caiu quase 4%”, pontuou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.