Queiroga diz que Ministério da Saúde adiantará segunda dose da Pfizer em setembro

Intervalo cairá de 90 para 21 dias, com objetivo de frear variante Delta

Durante entrevista coletiva, neste sábado, 14, em Brasília, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que pretende antecipar a aplicação da segunda dose da vacina da Pfizer a partir do mês de setembro, quando todos os adultos já devem ter recebido pelo menos uma dose de imunizantes contra a Covid-19. Com ação, o intervalo cairá de 90 para 21 dias, com objetivo de frear variante Delta.

“À medida em que a gente avance na primeira dose, já se rediscutiu colocar a Pfizer no intervalo de 21 dias. (A previsão é) em setembro. Nós já temos 70% da população acima de 18 anos com a primeira dose”, disse o ministro.

Atualmente, o intervalo entre as doses é de três meses. O maior período de tempo foi adotado, devido à baixa disponibilidade de imunizantes do laboratório nos primeiros meses, após sucessivas recusas de ofertas de compras. Com a mudança, a população poderá completar o ciclo de imunização da Pfizer em três semanas conforme previsto em bula. A antecipação da segunda dose já havia sido confirmada em 26 de julho.

Estudo da Universidade de Oxford indica que o intervalo ideal é de oito semanas. O trabalho, divulgado no fim de julho, foi realizado com 503 profissionais de saúde. O laboratório informou que a “segurança e eficácia da vacina não foram avaliadas em esquemas de dosagem diferentes”, porém, “as indicações sobre regimes de dosagem ficam a critério das autoridades de saúde e podem incluir recomendações seguindo os princípios locais de saúde pública”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.