Ainda não há dados que possam mensurar o alcance, mas Newton Ferreira estima que a melhora ainda está por vir

Uma semana após a abertura de bares e restaurantes em Goiânia, o segmento parece confiante. Pelo menos é o que aponta o presidente do Sindicato de Bares e Restaurantes (Sindbares), Newton Ferreira. Ainda não há dados que possam mensurar o alcance, mas ele estima que a retomada ainda foi tímida, e que deve, aos poucos, retornar com mais força.

Na capital, nos primeiros dias após a liberação para a retomada das atividades, foi possível observar a presença de consumidores sobretudo em bares, alguns dos quais com boa lotação. Newton, no entanto, lembra que, mesmo com o retorno, o segmento só poderá ter 50% de seu faturamento. “É o novo normal, até que tudo passe”, afirma.

O presidente reconhece que os bares e restaurantes foram reabertos durante o pico de Covid-19 em Goiás, mas lembra que o segmento ficou fechado por 120 dias. Por isso, argumenta que a atividade foi uma das que mais contribuíram para conter a doença causada pelo coronavírus.

“Muitos bares conseguiram a lotação de 50%, o que é animador. Mesmo que tenham faturamento limitado a esse patamar, a economia volta a girar. Sabemos que o segmento abre durante o pico da pandemia, mas, passando, o consumidor vai voltar a ter confiança”, projeta.

Protocolos

Newton reforça que o segmento entendeu a importância de seguir todos os protocolos de forma criteriosa. Ele ressalta, por exemplo, que nos restaurantes de self-service é obrigatório o uso de luvas. Há também obrigatoriedade do uso de máscara, além da restrição de lotação a 50% do total e, no máximo, quatro ocupantes por mesa.