Quais são as 11 mentiras ditas por Bolsonaro sobre homofobia e “kit gay” no Jornal Nacional

Jornal Opção enumerou informações falsas dadas pelo candidato a presidente durante entrevista concedida ao Jornal Nacional, da Rede Globo, na noite de terça (28/8)

Bolsonaro tentou mostrar o livro “Aparelho Sexual e Cia.” durante entrevista e disse que material fazia parte do programa Escola Sem Homofobia, chamado pelo parlamentar como “kit gay” | Foto: Reprodução/Rede Globo

A entrevista do deputado federal e candidato a presidente Jair Bolsonaro (PSL) no Jornal Nacional, da Rede Globo, foi transmitida ao vivo na noite de terça-feira (28/8). Mas até hoje é um assuntos mais comentados da semana entre todos os que estão em discussão no debate eleitoral. Para ajudar o leitor do Jornal Opção no esclarecimento dos fatos, verificamos as informações dadas por Bolsonaro e que geraram polêmica ao tratar do cancelado programa Escola Sem Homofobia, que o parlamentar chama de “kit gay”.

O Jornal Opção verificou que Bolsonaro disse 11 mentiras durante resposta à seguinte pergunta da editora-executiva e apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos: “A cada 19 horas um gay, lésbica ou trans é assassinado ou se suicida no Brasil por causa de homofobia. O sr. já disse que não é homofóbico, mas o sr. também já declarou que ‘vizinho gay desvaloriza imóvel’, que prefere que ‘um filho morra a ser gay’, o sr. já relacionou, inclusive, ‘pedofilia com homossexualismo’. Candidato, essas declarações não são homofóbicas?”.

Conheça as 11 mentiras ditas por Jair Bolsonaro ao falar sobre homofobia e citar o livro “Aparelho Sexual e Cia.”, dos autores Hélène Bruller e Zep (Companhia das Letras, 2007), esgotado no Brasil, durante entrevista concedida ao Jornal Nacional na terça-feira:
1) Bolsonaro mentiu sobre a distribuição do livro pelo governo federal: ele nunca foi distribuído em escolas públicas;

https://oglobo.globo.com/brasil/livro-citado-por-bolsonaro-no-jornal-nacional-nao-foi-distribuido-em-escola-23021610?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_campaign=O%20Globo

2) Bolsonaro mentiu sobre a faixa etária indicativa do livro, que o parlamentar disse ser 6 anos, como parte do dito “kit gay”: profissionais de educação das escolas públicas e alunos a partir dos 11 anos, do 6º ao 9º ano do ensino fundamental;

https://oglobo.globo.com/politica/diferentemente-do-divulgado-kits-anti-homofobia-eram-para-criancas-de-11-anos-2764570

3) Bolsonaro mentiu sobre qual ministério comprou o livro: Ministério da Cultura, que adquiriu apenas 28 exemplares;

4) Bolsonaro mentiu sobre o destino dos livros: bibliotecas públicas;
5) Bolsonaro mentiu sobre o livro fazer parte do chamado “kit gay”: nunca fez parte;

http://www.brasil.gov.br/editoria/educacao-e-ciencia/2016/01/mec-nao-distribuiu-nas-escolas-livro-de-educacao-sexual-citado-em-video-na-internet

6) Bolsonaro mentiu sobre o “kit gay”, que se chamava “Escola Sem Homofobia”, ter sido distribuído nas escolas: o Ministério da Educação cancelou o programa durante a produção do material;

http://www.acaoeducativa.org.br/fdh/wp-content/uploads/2015/11/kit-gay-escola-sem-homofobia-mec1.pdf

7) Bolsonaro mentiu que o livro foi escrito para crianças: de acordo com o material de divulgação do livro na editora Companhia das Letras, a publicação tem cunho pedagógico sobre sexualidade destinada aos adolescentes e jovens;

https://www.companhiadasletras.com.br/detalhe.php?codigo=12264

8) Bolsonaro mentiu sobre o nome do evento realizado no Congresso, que ele chamou de “9º Seminário LGBT infantil”: 9º Seminário LGBT no Congresso Nacional com o tema Infância e Sexualidade;
9) Bolsonaro errou a data de realização do evento, que ele diz ter acontecido em novembro de 2010: dias 15 e 16 de maio de 2012;
10) Bolsonaro mentiu sobre o público do seminário: os convidados eram adultos especialistas em Direito, Educação, Sexualidade, Psicologia e Cultura;

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/radio/materias/ULTIMAS-NOTICIAS/410781-SEMINARIO-LGBT-VAI-DISCUTIR-INFANCIA-E-SEXUALIDADE.html

11) Bolsonaro distorceu a informação “desconstrução da heteronormatividade” contida em um item do Plano Nacional de Promoção da Cidadania LGBT: trata-se especificamente do direito ao cadastro também de famílias formadas por casais homossexuais, travestis e transexuais no Sistema Único de Saúde (SUS) da mesma forma como acontece com famílias formadas por casais heterossexuais.

http://bibliotecadigital.planejamento.gov.br/bitstream/handle/123456789/1006/planolgbt.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Esgotado no Brasil, livro foi lançado em versão traduzida pela editora Companhia das Letras em 2007, que não tem contrato para venda de nova edição no País | Foto: Divulgação

4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Thalles

Fascista e mentiroso.

Sandro Marcos Rodrigues

Bolsonaro Presidente da Repuplica
Com ele o Brasil vai mudar

Ju munaro

Q legal né Primeiro NÃO existem apenas 28 exemplares Ou então não haveriam tantos exemplares sendo mostrados Por todo o brasil na própria internet O livro foi comprado pelo MEC através do mistério da cultura Existiu uma espécie de fachada Tem mais, a partir dos 11 anos são pre adolescentes, logo, o livro não diria q era para “crianças descoladas” Mais uma, seguindo o modelo de ilustração, tipo do livro, jamais ele foi criado para pre adolescentes, mostra ilustrações q foram colocadas imitando forma lúdica, mt colorido, deixando explícito assim, uma faixa etária bem menor q a q dizem!!!! E… Leia mais

Carlos

Globo em mais específico a Renata disse que a cada 19 horas um gay é assassinado, mas por se tratar de uma grande emissora e levando em consideração o peso dos debates eles deveriam pesquisar melhor, pois tais dados não existem em registros policiais e nem em ministérios públicos. Então se baseando em que eles fizeram tal afirmação?