O presidente russo Vladimir Putin supervisionou à distância, nesta quarta-feira, 25, um teste de mísseis balísticos, com manobras de resposta a um possível “bombardeio nuclear inimigo”.

Em comunicado, o Kremlin declarou que, sob liderança de Putin, “foi realizado o treinamento das forças de terra, mar e ar, integradas nas forças de dissuasão nuclear”.

Sergei Shoigu, ministro da Defesa, disse que os testes objetivam simular “o lançamento de um ataque nuclear maciço pelas forças estratégicas em resposta a um ataque nuclear inimigo”.

Conforme detalhado pelo Kremlin, durante os treinamentos foram disparados um míssil balístico intercontinental Iars do cosmódromo de Plesetsk, no norte da Rússia, e outro de nome Sineva, de um submarino no Mar de Barents.

Vale destacar que desde o início da guerra na Ucrânia, em fevereiro de 2022, Putin mencionou o possível uso de armas nucleares em diversas ocasiões.

Leia também:

Rússia dispara mais de 28 mísseis contra a Ucrânia em ameaça à Polônia

Tentativa de golpe de Prigozhin mostra que exército russo pode ser o segundo maior… dentro da Rússia